Rio de Janeiro - Brasil

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Mortes e saques aumentam em Salvador e exército será reforçado


Após a greve anunciada da Polícia Militar em Salvador, a cidade passou por uma madrugada turbulenta nesta sexta-feira, com um forte aumento no número de assassinatos e ataques ao comércio. Entre 1h e 6h45, foram registrados 17 assassinatos pela Secretaria de Segurança Pública. Neste mesmo período da semana passada, foram 13 homicídios durante 24h.
Pelo menos cinco lojas tiveram seu estoque saqueado no bairro da Liberdade, como informaram comerciantes e moradores às rádios e televisões regionais. Ainda assim. segundo a Polícia Civil, nenhuma ocorrência havia sido registrada pelos donos dos estabelecimentos até as 12h desta sexta-feira.
Diante do perigo que ronda a região, o sindicado dos trabalhadores do transporte coletivo também ameaçam iniciar uma paralisação de suas atividades a partir das 18h desta sexta.
Nesta quinta-feira, alguns motoristas chegaram a ser rendidos por grevistas armados que os obrigaram a entregar os ônibus para fazer barricadas no acesso do Centro Administrativo da Bahia. O local reúne os prédios das cúpulas do Executivo, Legislativo e Judiciário do Estado.
Durante a noite desta quinta-feira, o músico da banda afro Olodum Denilton Souza Cerqueira, 34, foi baleado enquanto voltava para casa por dois assaltantes no bairro da Mata Escura, onde vivia. Ele chegou a ser levado ao hospital mas não resistiu aos ferimentos. Outros bandidos chegaram a usar carros para invadir lojas. Em roubos rápidos, grupos de assaltantes destruíram alguns estabelecimentos.
Estado envia reforço para segurança na Bahia.
Até o final desta sexta-feira, o contingente das forças federais destacado para garantir a segurança na Bahia aumentará para 2,6 mil militares, segundo informou o Ministério da Defesa. As forças foram enviadas ao estado com o objetivo de manter a segurança, em meio à paralisação da Polícia Militar (PM) baiana.
Durante esta manhã, 1.250 militares já estavam atuando. Há ainda a possibilidade de que mais 4 mil militares de tropas da 10ª Região Militar, em Fortaleza (CE), sejam acionados para reforçar a segurança no estado.
A Marinha acionou 250 fuzileiros navais para a segurança de portos e terminais de embarque, e a Força Aérea Brasileira (FAB) designou cerca de 400 militares para cuidar do funcionamento regular dos aeroportos públicos em todo o Estado.
O secretário de Segurança da Bahia, Maurício Barbosa, se reúne nesta sexta-feira com representantes de associações de policiais para discutir o assunto. De acordo com a secretaria, 7 mil dos 30 mil policiais baianos estão trabalhando e, das 300 viaturas da corporação em Salvador, 210 estão em atividade.
Barbosa garante ter "consciência de que é preciso avançar na melhoria das condições de trabalho dos policiais", mas reitera não poder "admitir desordem e baderna de grupos querendo impor uma condição para além do estado democrático".

Com informações da Agência Brasil
Fonte:



0 comentários:

Postar um comentário