Rio de Janeiro - Brasil

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Cordeiros da Grã-Bretanha estão sendo exterminados por vírus assassino na Europa em meio a temores que a doença possa afetar os seres humanos







Testes urgentes estão em andamento para ver se um vírus mortal que ameaça acabar com cordeiros em prados da Grã-Bretanha representa uma ameaça aos seres humanos.
Os peritos acreditam que o vírus se espalhou por Schmallenburg na Grã-Bretanha por mosquitos infectados que fervilhavam em todo o Mar do Norte no último verão e outono.
Atualmente, uma avaliação à escala europeia concluiu que é improvável que doenças afete as os seres humanos.
No entanto, como é um vírus novo, o trabalho está em curso para identificar se ele poderia causar problemas de saúde para as pessoas.
Catherine McLaughlin, do National Farmers 'Union, disse:' Isto ainda é um vírus relativamente novo, é uma situação em desenvolvimento e é difícil prever a dimensão dos problemas.
Nós estamos continuando a trabalhar em estreita colaboração com colegas da Saúde Animal e Veterinary Laboratories Agency no Reino Unido e as comunidades científicas da UE para aprender o máximo o mais rápido possível."
O inverno impediu a proliferação de  mosquitos, mas teme-se que a primavera chega e, uma vez que fica mais quente, a doença irá aumentar no Reino Unido.
Enquanto isso, em outro desenvolvimento alarmante, o gado também foram infectados, o que significa que poderia haver um impacto ainda maior sobre os preços da carne nas prateleiras dos supermercados.
Em rebanhos de ovinos que causa defeitos de nascimento em cordeiros incluindo deformação da cabeça, pescoço e membros, bem como a cegueira.
Notícias que os rebanhos de gado britânicos também estão mostrando vestígios de que a doença vai enviar estremece com a indústria de gado do Reino Unido.
A doença teve origem na Alemanha, onde foi responsabilizado pela morte de até um quarto de cordeiros em quase 150 rebanhos atingidas desde que foi identificado em novembro passado

Fonte







0 comentários:

Postar um comentário