Rio de Janeiro - Brasil

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Rússia escapou por pouco de desastre nuclear em 2011



A Rússia chegou perto de desastre nuclear no final de dezembro, quando um incêndio envolveu um submarino movido a energia nuclear transportando armas atômicas.
Autoridades russas disseram na época que todas as armas nucleares a bordo do submarino nuclear Yekaterinburg tinha sido descarregado bem antes de um incêndio tomar conta do navio 167 metros e não houve risco de um vazamento de radiação.
Mas a revista Vlast em entrevista a respeitado comissário citou várias fontes na marinha russa, dizendo o submarino estava transportando mísseis balísticos intercontinentais, cada um armado com quatro ogivas nucleares.
"A Rússia, por um dia, estava à beira da maior catástrofe desde o tempo de Chernobyl", relatou Vlast. O desastre de 1986 na atual Ucrânia é considerado o pior acidente nuclear do mundo.
Nem o Ministério da Defesa russo, nem o cargo de vice-primeiro-ministro Dmitry Rogozin, que tem responsabilidade em assuntos militares, de imediato comentaram o relatório. . Um porta-voz da Marinha não pôde ser contatado.
O fogo começou quando fagulhas de solda atingiram andaimes de madeira ao redor do submarino 18.200 toneladas no cais Roslyakovo, 1.500 km ao norte de Moscou e um dos principais estaleiros navais usados ​​pela frota norte da Rússia.
A borracha de revestimento do submarino, em seguida, pegou fogo, chamas e fumaça preta de 10 metros acima da embarcação atingida. Bombeiros combateram o incêndio por um dia e uma noite antes de afundar parcialmente o submarino de acordo com relatos da mídia.
Reportagens da mídia sobre o que aconteceu no momento do incêndio eram contraditórias e jornalistas estrangeiros foram incapazes de obter acesso à zona de alta segurança.
O pior Desastre com submarino na Rússia pós-soviética foi em agosto de 2000, quando o submarino nuclear Kursk afundou no Mar de Barents matando todos os 118 tripulantes a bordo.

Fonte:  http://www.guardian.co.uk/





0 comentários:

Postar um comentário