Rio de Janeiro - Brasil

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Aprovada lei que proíbe a “ palmada” nos filhos


O Brasil e um Pais onde as leis estão ultrapassadas e deturpadas. Aqui Criminoso “ de menor” assalta rouba, estupra, mata. Quando preso, sua imagem não pode ser revelada, ou seja, ate dificultando que pessoas que possam ter sido vitima consigam reconhecer e ir a delegacia.
Após algum “tempinho” reclusos em uma unidade ” sócio educativa” sai muitas vezes pior do que entrou, mas com a ficha limpa. Agora querem proibir os pais de corrigir seus filhos. Uma coisa e agressão, tortura contra a criança que sabemos que existe e precisa ser denunciada e combatida. Outra coisa porem é a palmadinha , aquela momentânea com o objetivo de fazer a criança ter limites.
Hoje em dia com essa política de “ amordaçar” os pais na educação de seus filhos, esta contribuindo para a formação de uma legião de “ monstrinhos”. Tenho uma colega que recentemente me contou ter presenciado uma cena ridícula, de uma criança de aproximadamente dez anos gritando com  a mãe na rua, ela conta que em determinado momento a mãe disse que daria umas palmadas nele, caso ele não parasse de fazer a tal mal criação, a criança então disse em alto bom som: “ me bate que eu lhe denuncio a policia”.
Os estudiosos que propõe estas leis trouxas, devem ser uns “ nerds” que passam a vida lendo livros sem sair na rua e saber exatamente que a vida real não é a mesma de certas metodologias utópicas que lêem. As crianças de hoje não são aquelas que ha décadas atrás brincavam, saltavam pipas, assistiam “ xuxa”. Hoje sabem mais das leis que seus pais.
Eu tenho um caso na família que representa muito bem isso. Tenho uma tia que criou seus três filhos de forma bem distinta. Com as duas filhas do primeiro relacionamento, era mais enérgica, dava as tais palmadas quando necessário. O Filho mais novo, fruto do ultimo relacionamento,  criou cheio de “ mimos“, dava a ele os melhores brinquedos, camisa do time de futebol somente oficial. Palmadinha, nunca!
Hoje o menininho virou um “ galalau” problemático, que após a morte do pai passou a agredir, verbalmente a mãe (inicialmente), levava mulheres para transar em casa enquanto a mãe saia, e usava a cama da mãe como palco de orgias.Minha tia quando chegava em casa encontrava a cama suja de esperma, pois  o “ garotão” e suas “ peguetes” não se preocupavam nem em arrumar o “ bordel após a trepada”.
Em uma das inúmeras discussões entre ele e minha tia, houve agressão física onde esse individuo deu um empurrão nela que a fez cair. Minha mãe foi a delegacia juntamente com minha tia para abrir um “BO”, porem no dia seguinte minha tia retornou a delegacia e retirou a queixa, porque não queria que seu filhinho pudesse receber a devida punição.
Da mesma forma que aprovaram a lei contra as palmadas dos pais aos filhos, deveriam também criar uma lei que punisse com rigor filhos que batem, ou expõe seus pais em constrangimento.
O que não pode e criar um clima de tudo pode aos filhos, pois conversa nem sempre resolve. Como já disse existe um abismo entre maus tratos e o tapinha corretivo, o primeiro deve ser combatido e denunciado, o segundo, em certas situações, e necessário.
Uanderson





0 comentários:

Postar um comentário