Rio de Janeiro - Brasil

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Mãe monstro é presa após jogar álcool e atear fogo no filho de 10 anos em São Paulo



São Paulo - Uma mulher foi detida pela Polícia Militar depois de jogar álcool e atear fogo no prório filho, de 10 anos, na Vila Esperança, na Zona Leste de São Paulo. Segundo a Polícia Militar, Sandra Gomes Bacelar, de 35 anos, afirmou que queria que a criança desligasse a televisão e fosse dormir. O crime ocorreu na Rua Montes Áureos, altura do número 196, na noite de segunda-feira.

Segundo a PM, a vítima estava em seu quarto, deitado na cama, quando a mãe jogou álcool sobre ele. Sandra, então, o teria arrastado até o banheiro da casa e ateado fogo no filho. A embalagem do álcool e as roupas da criança foram encontradas no lixo da rua. Sandra mostrava claros sinais de embriaguez quando foi presa, segundo os policiais.

Os agentes militares foram atender uma ocorrência de briga de casal. Quando chegaram na casa, Ubiraci Uchoa Vieira, de 39 anos, padrasto do garoto, estava com ele e sua irmã, de 3 anos, dentro de um carro, modelo Agile.

O padrastro disse à polícia que, no momento do crime, dormia ao lado da menina de 3 anos, que é sua filha. Após o ocorrido, ele afirmou ter colocado as crianças no carro para levar o menino ao hospital da região. A criança sofreu queimaduras em toda a parte frontal do corpo, rosto, tronco e membros,
além das vias respiratórias. Ele permanecia entubado no hospital, em estado grave.

Com informações do IG


Opinião
O que dizer sobre tamanha crueldade? Sinceramente cadeira elétrica para esse monstro e pouco, infelizmente da nojo saber que a sociedade ainda ira pagar para manter essa “ bosta” na cadeia. Quanto a criança, que Deus possa reduzir ao Maximo seu sofrimento.
Por Uanderson


2 comentários:

  1. eu sou vizinha deles, na rua montes aureos, 196 eu moro parede com parede. E vi e ouvi qdo eles colocaram o moleque no carro,eles gritava com o moleque e dizia: fala pro medico que foi sua mae, se vc abrir o bico eu te mato la no hospital. Fala que eu tava dormindo. Eu na hora nao sabia o que estava acontecendo, pois era de costume eles toda noite chegar bebados e brigaram quebrar as coisas, ele espancava o moleque todo dia e batia nela também. E depois, logo em seguida faziam sexo no carro na porta de casa todo via na rua. É o maior borde esta casa, ele dava bebida alcoolica para menininha dele, para ela ia dormir.
    Este monstro agora esta com a guarda da menina, voces acreditam nisso? Agora ele vai largar e coitadinha o dia inteiro por ai e anoite vai chegar bebado e a proxima a morrer vai ser a garotinha. Este casal é o casal Nardoni 02 o retorno.Eu falei na TV, agora prestem atenção eu vou ser assassinada por ele, sabe porque? Ele me encontrou hoje no mercadinho e disse que era para eu meter com minha vida nao na deles que eu ia amanhecer com a boca cheia de formiga. Isto o meu neto disse que ele me ameaçou de morte. Por isso, estou aqui, pedi para meu neto escrever eu nao tenho medo deste monstro. E acho que o conselho tutelar estar errado em deixar esta pobre garotinha nas maos destes monstro. Ela vai aprodrecer na cadeia e ele aqui fora vai matar esta garotinha que ele mesmo ja cansou de bater, toda vizinha conheço ele por aqui, sabe como é este monstro.

    Maria de Almeida

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado pela sua participação. O seu relato e impressionante. E um absurdo se o conselho tutelar manter a guarda dessas crianças com esses monstros.

    Quanto a ameaça dele não fique assim, este meio de comunicação esta aberto para botar a boca no trombone, nos temos que denunciar mesmo, não podemos fingir que isso não esta acontecendo, ou achar que é problemas deles porque estas crianças não tem a quem recorrer.

    Assim foi o caso das crianças que foram mortas e esquartejadas pela madrasta e o pai em São Paulo algum tempo atrás. As crianças pediram ajuda ao conselho tutelar, este devolveu a guarda ao pai dizendo que as crianças eram fantasiosas.

    As crianças fugiram pediram ajuda a guardas municipais que levaram as crianças de volta para a casa do pai. Os familiares, tias avós etc.. não deram abrigo para aquelas crianças e o resultado foi que no mesmo dia as crianças foram mortas a facadas pelo pai e a madrasta e depois esquartejados e colocados em bolsas de lixo.

    Não podemos ver crianças sendo molestadas, agredidas pelos pais e achar que é assim mesmo. Quanto a Senhora, se preferir faça um boletim de ocorrencia por ameaça.

    Meus parabens por não se calar.

    ResponderExcluir