Rio de Janeiro - Brasil

terça-feira, 29 de novembro de 2011

American Airlines pede falência após indícios de problemas financeiros


A companhia American Airlines pediu falência nesta terça-feira. Com isso, foram suspensos os pagamentos aos fornecedores e entregue uma declaração formal ao tribunal de Manhattan. O fechamento foi anunciado após algumas semanas de forte resistência da empresa para que não fosse necessário chegar a esse ponto.
Após indícios de grandes problemas financeiros, a norte-americana não conquistou o apoio de todos os sindicatos para a redução de custos de trabalho e deve tentar reestruturar sua dívida.
Considerada a maior empresa aérea do mundo até 2006, a American Airlines, agora a terceira do ramo, conta com 78 mil empregados e é chefiada por Thomas Horton, que ocupa o cargo desde julho.
A companhia garantiu, em um comunicado, que as operações vão continuar normalmente e que o processo é necessário para redirecionar a companhia e fazer com que se torne mais eficiente administrativamente e financeiramente, além de ganhar força competitiva.
A American Airlnes afirmou ainda que os desafios pelos quais passa o setor aéreo não têm precedentes. Entre eles estariam o preço dos combustíveis e a estrutura favorável a companhias aéreas de baixo custo.
A companhia possui atualmente 4.100 milhões de euros em caixa. Os ativos estão no valor de 24.720 milhões de dólares enquanto os passivos estão em 29.550 milhões.
Após o anúncio do pedido de falência, as ações da empresa despencaram em quase 80% na bolsa.
Mudanças não devem afetar Brasil
Em nota, a American Airlines informa que a concordata não terá impacto jurídico nas operações no Brasil e que a empresa continuará a prestar o serviço de transporte aéreo normalmente.
"A American Airlines está operando seus voos dentro da programação, honrando suas passagens e reservas como de costume e, também, executando reembolsos e trocas normalmente. O programa de fidelidade AAdvantage não será afetado", diz o texto do comunicado.
A American Airlines anunciou hoje que a empresa controladora, a AMR Corporation, e algumas subsidiárias sediadas nos Estados Unidos entraram com pedido de reorganização, conforme o Capítulo 11 da Lei de Falências norte-americana. A empresa diz no comunicado que espera continuar suas operações de negócios normalmente durante o processo.


Opinião
Noticia como esta mostra a que ponto chegou a crise na economia americana. Empresas gigantes como esta pedindo falência e a prova mais fiel desta crise.

0 comentários:

Postar um comentário