Rio de Janeiro - Brasil

sábado, 12 de janeiro de 2013

Criança supostamente agredida e abusada sexualmente pelos pais tem morte cerebral confirmada









Uma criança de três anos, vítima de abuso sexual e de agressão, teve morte cerebral confirmada depois de ficar dez dias internada em um hospital de Cuiabá com traumatismo craniano. De acordo com a assessoria de comunicação da Polícia Civil de Mato Grosso, os pais do menino são suspeitos da violência. Eles estão presos no Centro de Detenção Provisória de Tangará da Serra.

O caso veio à tona quando o Samu foi acionado para socorrer o menino. Pai e mãe da vítima alegaram, segundo a Polícia Civil, que o filho teria sofrido uma convulsão após cair e bater com a cabeça. No hospital, a médica desconfiou da versão, porque as lesões eram incompatíveis com o acidente. O menino apresentava ainda lacerações no ânus.
A polícia foi acionada e o casal foi levado para a delegacia, onde negou a agressão e reafirmou a história da queda. Eles foram autuados em flagrante por tortura qualificada e estupro de vulnerável.

A assessoria de comunicação da Polícia Civil no Estado informou ainda que, na última segunda-feira (7), a titular da Delegacia Municipal de Tangará da Serra, Liliane Diogo, concluiu o inquérito sobre o caso e indiciou os suspeitos. O documento já foi encaminhado à Justiça.
Conforme a Polícia Civil, laudo do Instituto Médico Legal comprovou que a vítima havia sido molestada sexualmente e apresentava lesões antigas.

A criança incialmente ficou internada em Tangará da Serra, mas, diante da gravidade do caso, foi transferida para o Pronto Socorro de Cuiabá e, em seguida, foi levada para um hospital particular da capital.

O menino, que estava em coma, completou três anos na sexta-feira (11), quando foi decretada a morte cerebral, de acordo com a assessoria.

Fonte:
 G1

Opinião:

O que os vermes que fizeram isso com esse menino merecem? Cadeia? Muito pouco... só de pensar que ainda teremos que alimentar esses “bichos” na prisão, me da nojo!

Uanderson

0 comentários:

Postar um comentário