Rio de Janeiro - Brasil

domingo, 20 de janeiro de 2013

A crise no carnaval 2013.




Neste inicio de ano, a palavra crise vem se tornando comum nos noticiários. Seja na economia, onde nosso País registrou um “PIBINHO” em 2012, e para 2013 o prognostico também não e dos melhores, na saúde no final do ano passado ficamos estarrecidos com a noticia que em São Luis capital do Maranhão possuía apenas duas ambulâncias, para dar conta de uma população de mais de um milhão de habitantes.

E agora nas vésperas do carnaval, época em que o povo brinca e esquece dos problemas que nos atormenta o ano todo, a palavra crise mais uma vez entre em cena. Aqui no Rio de Janeiro, as escolas de samba estão com problemas para concluir o  carnaval, com exceção de poucas como a Beija Flor, as demais estão com o calendário apertado.

A Portela ate o inicio deste ano estava com as alegorias ainda “no ferro”. Porem a palavra crise também atormenta outras cidades, algumas inclusive já anunciaram o cancelamento do carnaval. Cidades como São Luis( MA), Petrópolis ( RJ), Ilhéus( BA). No estado de São Paulo cancelaram o carnaval as cidades de São Carlos, Barretos, Caçapava, Guaratinguetá, Lorena e São José dos Campos.

Porem o cancelamento que mais me chamou a atenção foi do carnaval de Florianópolis. Os desfiles das escolas de samba de Florianópolis  vem ganhando representatividade  cada ano que passa, e  nesta semana a liga das escolas de samba de Florianópolis anunciou o cancelamento dos desfiles deste ano por falta de verba.

Lendo nos jornais, li muitos comentários aplaudindo a decisão dessas cidades em cancelar o carnaval, onde o principal motivo e o repasse de verba para as escolas de samba e outras organizações de carnaval. Na visão dessas pessoas o estado não deve financiar o carnaval, e sim saúde, educação etc...

Olhando por esse ângulo realmente, saúde, educação, segurança são prioridades em qualquer lugar, aqui ou em Marte, porem investir no carnaval não e jogar dinheiro no lixo, assim como alguns enxergam o investimento no carnaval.

Alem de ser uma festa popular, uma manifestação legitima da cultura brasileira, que gera momentos de alegria para um povo sofrido, investir no carnaval também e uma forma de investir no turismo. Algumas cidades, mesmo que de pequeno porte, como Diamantina em Minas Gerais chega a receber 30 mil turistas nesta época, gera emprego para todo o setor de serviços, como hotelarias, bares, etc..

Será que a crise e tão grave assim que se justifique tamanha violência que é desprover o povo  de um dos poucos momentos que se tem de alegria? Será que existem outras coisas por trás? Se a população não quer dinheiro publico envolvido no carnaval, acho que daqui para frente devemos estar mais atentos e também coibir que dinheiro publico seja investido em eventos religiosos, pelo Pais a fora que sabemos que rola solto!

O Brasil na constituição diz ser um Pais Laico, mas nossos governantes que só pensam neles próprios de olho no eleitorado, concede agrados para “religiosos”, como a recente concessão do passaporte diplomático para o bispo Waldemiro. Algumas organizações como a associação LGBT cobrou do Itamaraty o mesmo privilegio.

Voltando ao tema, acho uma pena a decisão das cidades para o cancelamento do carnaval local, acredito que as organizações carnavalescas junto com o governo de transição deveriam ter entrado em um acordo ainda no ano passado, buscando alternativas de financiamento para o carnaval com a iniciativa privada, e não esperar praticamente as portas do carnaval para anunciar que não tem dinheiro para investir.

Enquanto para uns carnaval e sinônimo de prostituição, violência, e desperdício de dinheiro, para mim, carnaval e tempo sim , de alegria, de cultura e também de ganhar dinheiro. Pois tudo depende do ponto de vista particular de cada um.

O Natal por exemplo pode ser época de festa familiar, de lembrar o nascimento de Cristo para uns, para outros pode ser época de consumo exacerbado, de bebedeira e hipocrisia estridente, como aqueles familiares que se engalfinham durante o ano todo e no Natal se abraçam com frases de fraternidade que soam falsidade.

Mas se a desculpa dos políticos para o cancelamento do carnaval e por investir em saúde e educação, vamos então ficar em cima e cobrar que esses recursos sejam usados da forma que anunciaram. Porem para mim tudo não passa de puro marketing político. O tempo será a voz da razão!

Por Uanderson

0 comentários:

Postar um comentário