Rio de Janeiro - Brasil

quinta-feira, 6 de março de 2014

Jovem é preso suspeito de ser o "maníaco degolador do Brás"


Um homem de 19 anos foi preso suspeito de uma série de mortes na região do Brás, no centro de São Paulo. O jovem foi detido na noite de quarta-feira (5) em casa, no mesmo bairro onde aconteceram os assassinatos, e teria matado quatro pessoas em menos de dez dias. A suposta participação nos crimes foi revelada à polícia por meio de uma denúncia anônonima.  

O rapaz foi levado à sede do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), onde presta depoimento. Os quatro crimes têm em comum o fato de as vítimas terem tido a região do pescoço cortada pelo assassino. O jovem nega a autoria dos assassinatos, segundo a advogada.

Na casa do suspeito, os policiais encontraram uma camiseta preta e um boné. Um homem com esse tipo de roupa aparece nas imagens do circuito de segurança analisadas pela polícia na investigação das mortes. Outro fator que faz a polícia acreditar que o mesmo homem foi responsável pelas outras mortes é o horários dos crimes, sempre após as 3h.

Quatro pessoas foram mortas em menos de dez dias na região do Brás. A última vítima foi um travesti, morto na rua Conselheiro Belisário. O crime foi gravado por câmeras de segurança e mostram o suspeito e o travesti caminhando na calçada. Os dois começam a lutar ao lado de uma caçamba. Ali aconteceram os primeiros golpes. O travesti tentou correr e foi perseguido. Depois, o suspeito fugiu. 

Em outra gravação, o músico Aislan Dantas dos Prazeres, de 35 anos, outra vítima do "maníaco do Brás", aparece caminhando com um casal. Logo depois, o casal surge sozinho. Em outra imagem, a vítima corre para pedir ajuda com a mão em cima de um ferimento. Aislan era saxofonista do grupo Bonde do Maluco que faz sucesso com o ritmo arroxa. Ele havia sido pai, pela terceira vez, dias antes de morrer, como conta a advogada da família da vítima, Jaqueline Leite Martinelli. 

— A esposa dele está bastante abalada. A gente vai ter que entrar com pedido para registrar o bebê porque não deu tempo, então esta semana que vem aí vamos ter que entrar com pedido para inclusão do nome dele no registro do bebê. 

A advogada da família de Aislan esteve no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa. Durante toda madrugada, aconteceu o interrogatório do suspeito de ter matado as quatro pessoas. Ao ser preso, o suspeito negou participação nos crimes, mas a polícia encontrou na casa dele, além da camiseta e do boné, duas facas que podem ter sido usadas nas mortes. No local também havia muitos CDs e DVDs pirateados.

Fonte: R7


0 comentários:

Postar um comentário