Rio de Janeiro - Brasil

sábado, 15 de março de 2014

Enfermagem merece às 30 horas, mas o pessoal do “ olho grande” não!


A enfermagem se prepara mais uma vez para sair as ruas afim de reivindicar as 30 horas semanais para a categoria profissional. São trabalhadores que possuem uma carga horária exaustiva aliada ao trabalho que requer atenção e vigor físico.

A categoria já teve algumas vitórias pelas trinta horas, Tanto o estado do Rio, quanto o município já garantiram às 30 horas semanais. Porem em esfera federal ainda e encontrado resistência, sob justificativa de aumento de gastos.

Às trinta horas semanais será uma grande conquista para a enfermagem pois ela possibilita um descanso entre jornada de trabalho ao profissional, além disso exigira a contratação de mais profissionais o que possibilitara geração de empregos para uma categoria profissional já saturada no mercado.

A cada dia novas escolas técnicas de enfermagem se abrem, assim como novos cursos superiores nas faculdades, jogando para o mercado, mais profissionais que não consegue absorve-los.  Aquele jargão que dizia: “ não falta emprego para enfermagem”, ou “não existe enfermeiro desempregado” já é coisa batida.

Alias a enfermagem nesse aspecto é uma profissão cruel para os recém formados especificamente para os enfermeiros. Mal ou bem, os técnicos ainda encontram hospitais ate de grande porte, como a Rede Dor que contratam técnicos de enfermagem mesmo sem experiência, num programa chamado “meu primeiro emprego”.

Já os enfermeiros recém formados não têm essa mesma sorte, penam para conseguir entrar no mercado de trabalho que para esses profissionais exigi-se experiência anterior. Para os enfermeiros recém formados que  já foram técnicos é mais fácil justamente por terem essa experiência como técnicos que alguns hospitais aceitam.

Já os recém formados que não foram técnicos, só entram no mercado se passarem em algum concurso ou tiver sorte de arrumar algum “pistolão”. Eu me encontro nesse grupo que entrou na faculdade de enfermagem sem ter feito técnico, se baseando no que diziam sobre a profissão, como: “há não tem esse papo de experiência não, tem lugar que ate prefere contratar os sem experiência porque não tem vícios profissionais”. Na pratica não vemos isso.

Para completar, ainda há os “olho grande” da profissão, que são aqueles camaradas que trabalham em 100 lugares diferentes, mas ainda querem mais um. Não dão conta ai pagam plantão, mas não largam o osso. Com isso tira a oportunidade de quem não tem nenhum. Por isso coloquei o titulo do post: “Enfermagem merece às 30 horas, mas o pessoal do “ olho grande” não!”, não adianta reduzir a carga horária achando que assim os profissionais poderão descansar que na realidade vai ate piorar, pois terão mais tempo de se sobrecarregarem em outros lugares.

Acho que o que a enfermagem precisa e sim de um piso salarial decente para todas as categorias, já que se os técnicos e enfermeiros tivessem melhor remuneração acho que não teriam justificativa para viver dentro de hospital, o que acaba sendo a realidade de muitos, que     saem de um plantão e já emendam no outro, ficam sem vida social.

Às trinta horas nesse aspecto seria para então dar sim o descanso merecido. Porem ainda sim teria quer ter controle para conter os “olho grande” já que mesmo se melhorasse a remuneração, ainda assim encontraríamos muitos com 100 empregos, ainda procurando completar o 101, 102.......

Por Uanderson

0 comentários:

Postar um comentário