Rio de Janeiro - Brasil

quinta-feira, 6 de março de 2014

Filho de músico do Pique Novo morre em guerra de bate-bolas

Dois jovens foram assassinados e sete pessoas ficaram feridas a tiros, após confrontos provocados por grupos bate-bolas em diversos pontos da cidade do Rio e da Baixada Fluminense, entre a noite de segunda-feira e a madrugada de ontem. Um dos mortos é Marlon Augusto Fernando Luciano, de 19 anos, filho do músico Edson Cigano, percussionista do grupo de pagode Pique Novo. Grupos de bate-bolas também são acusados de praticar assaltos e até um arrastão no metrô. Quatro suspeitos foram presos em Nilópolis.

A primeira morte ocorreu em Bento Ribeiro. De acordo com policiais do 9º BPM (Rocha Miranda), uma festa de Carnaval era realizada numa pracinha da Rua Marina, com cerca de 200 foliões, entre eles, um grupo de Clóvis. Por volta das 21h30 de segunda-feira, um outro grupo, com aproximadamente 100 bate-bolas, chegou ao local, iniciando um conflito. Gabriel Ferreira dos Santos, de 17 anos, foi baleado no peito e morreu.

No mesmo local, outras quatro pessoas foram baleadas, entre elas um menino de 13 anos. Os feridos foram levados para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes. Até no fim da tarde de ontem, o único que continuava internado era um rapaz de 22 anos que foi atingido na perna esquerda.

A Polícia Militar informou que as armas dos PMs que estavam na pracinha na hora do tiroteio foram entregues à Divisão de Homicídios (DH) para serem encaminhadas à perícia. A corporação afirma que os policiais alegam que não fizeram disparos.

Em Nilópolis, na Baixada, Marlon Augusto Fernando Luciano, filho do percussionista Edson Cigano, morreu com um tiro no abdômen quando integrava um grupo de bate-bolas que brincava o Carnaval no distrito de Olinda. De acordo com testemunhas, um tiroteio começou quando um segundo grupo de Clóvis, de outra localidade, chegou, por volta de 22h30 de segunda-feira.

Outros três jovens foram baleados, mas passam bem. Quatro suspeitos de terem participado da confusão foram presos por guardas municipais. O corpo de Marlon foi enterrado ontem no Cemitério de Olinda, onde a família mora.

O produtor do Pique Novo, Márcio Rodrigues, disse que o pai de Marlon está muito abalado. "O Edson está sob o efeito de remédios", disse ele, que trabalha com o grupo há três anos.

Fonte: Meia hora



0 comentários:

Postar um comentário