Rio de Janeiro - Brasil

sábado, 6 de julho de 2013

Não é só no Brasil: Menina inglesa, 14 anos, diagnosticada com desidratação, após sofrer fortes dores de cabeça e dificuldade de visão morreu meses depois de tumor no cérebro



O Hospital Bournemouth na Inglaterra situado na cidade do condado de Dorset, na Inglaterra pediu desculpas à família de uma estudante que morreu de um tumor cerebral depois de ter sido erroneamente diagnosticada.

Olivia Wicks, 14, foi para o hospital com fortes dores de cabeça, e com visão turva, mas a enfermeira da triagem rebaixou seus sintomas, resultando em ela ter de esperar seis horas para o atendimento com o médico.

Ela então foi diagnosticada erroneamente como sofrendo de desidratação e enviada de volta para a casa de sua tia, em Bournemouth, Dorset, onde ela estava hospedada.

Seis semanas depois, Olivia ficou tão mal que ela foi levada às pressas para outro hospital, mas desta vez foi feita uma tomografia computadorizada.

A tomografia revelou um tumor cerebral inoperável. Apesar do tratamento radioterápico, a adolescente perdeu sua batalha de 10 meses contra o tumor e morreu na semana passada.

Em uma carta de desculpas à família de Olivia, o “Bournemouth Hospital” disse que a enfermeira que a assistiu na triagem, desde então passou por "formação integral".

Os Pais de Olivia devastados acreditam que mais poderia ter sido feito para ela se ela tivesse sido diagnosticada anteriormente.

Ela também tinha dores de cabeça muito fortes e por isso sua irmã preocupada acompanhou Olivia ao hospital.

Olivia disse ao médico que sentia uma dor de cabeça fora do comum, mas o médico disse que não havia nada de errado com ela.”

"Quando ela voltou para a escola ela estava pronunciando as palavras com certa dificuldade, não podia andar corretamente e havia algo errado com seus olhos.

"Depois que ela chegou ao hospital, o lado direito de seu corpo ficou paralisado”.

"Eles achavam que ela estava tendo um derrame, ela não podia andar ou engolir corretamente.

Em sua carta à família Tony Spotswood, executivo-chefe de Bournemouth Hospital, explicou que a enfermeira que atendeu Olivia deu uma pontuação de triagem de baixa prioridade, quando deveria ter sido para sinalizar uma paciente de alta prioridade.

Ele disse: "A pontuação de triagem não era apropriado.

"Peço desculpas que a triagem não foi corretamente preenchido. Eu só posso pedir desculpas pelo atraso no diagnostico correto de Olivia.

"O departamento estava cheio de pacientes muito graves, especialmente na área de ressuscitação, mas ela deveria ter sido vista mais rapidamente."

A família de Olivia havia reclamado anteriormente à Ouvidoria Parlamentar e do Serviço de Saúde sobre o tratamento que ela recebeu no Bournemouth Hospital.

"Eu prometi Olivia antes dela falecer que eu iria levar a justiça, e eu vou”. Completou a mãe da adolescente.

Fonte:


Opinião

Como vimos não e só no Brasil que ocorrem erros de atendimento medico, como também não e só no Brasil que quando esses erros acontecem a enfermagem e que sempre leva a “majiroba”. (procure o significado no dicionário informal”

A enfermeira pode ter errado na classificação de risco para atendimento, dando baixa prioridade, mas quem deveria ter prescrito exames para fazer o correto diagnostico era o medico, que pela reportagem, não fez.

Não e só no Brasil que a “virose” e o primeiro diagnostico!

Por Uanderson

0 comentários:

Postar um comentário