Rio de Janeiro - Brasil

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Forçados a trabalhar por 24 horas, redes de suicídio, exposição a toxinas : Dentro das fábricas chinesas que produzem iPads para a Apple


Trabalhar horas extras excessivas, sem um único dia de folga durante a semana, viver juntos em dormitórios lotados e em pé tanto tempo que suas pernas incham e eles quase não consegue andar após uma jornada de 24 horas.
Estas são as vidas que alguns funcionários afirmam  viver nos centros das fabricas da Apple na China, onde fornecedores da empresa supostamente erram no descarte de resíduos perigosos. Quase 140 trabalhadores em um fornecedor na China foram feridos, há dois anos usando um produto químico venenoso para limpar telas de iPhone - e duas explosões no ano passado matou quatro pessoas e feriu mais de 75.
"Mas o que é moralmente repugnante em um país é aceito práticas de negócios em outra, e as empresas tirar proveito disso", acrescentou o ex-conselheiro do Departamento do Trabalho dos EUA.
Banners na planta de Chengdu deu um aviso para o pessoal : "Trabalhar duro no emprego hoje ou irá trabalhar duro para encontrar um emprego amanhã". Trabalhadores que chegam tarde, muitas vezes tinha que escrever cartas de confissão.
Matérias de jornal anunciam lucros da Apple de US $ 46 bilhões em  vendas em seu último trimestre - mas a empresa ainda quer suas fábricas no exterior para produzir mais.
Executivos da Apple afirmam que melhorou fábricas nos últimos anos e emite um código de conduta dos fornecedores sobre o trabalho e segurança - mas os problemas ainda existem, de acordo com grupos de defesa do emprego.
"Ou Trabalha duro no emprego hoje ou vai trabalhar duro para encontrar um emprego amanhã"
Mais da metade dos fornecedores auditados pela Apple pode ter quebrado pelo menos uma parte de seu código de conduta a cada ano desde 2007 e até mesmo quebrado a lei em alguns casos, de acordo com relatórios da empresa.
Um funcionário da Foxconn pulou ou caiu de um prédio depois de perder um protótipo do iPhone em 2009 - e 18 outros trabalhadores, aparentemente, tentou cometer suicídio em dois anos, noticiou o New York Times.
Redes de suicídio foram instalados para evitar que trabalhadores possam saltar para a morte e Foxconn começou a fornecer tratamento de saúde mental para seu pessoal.
Li MingQi trabalhou para a Foxconn, fabrica de Tecnologia parceira da Apple até   pouco tempo  ajudou a gerenciar a fábrica em Chengdu, que teve a explosão.  Ele agora está processando Foxconn sobre sua demissão.
"A Apple nunca se preocupava com outra coisa senão aumentar a qualidade do produto e diminuindo o custo de produção," o Sr. Li disse ao New York Times. "os trabalhadores não tem nada a ver com seus interesses."
Um ex-executivo da Apple afirmou que a empresa teve conhecimento de abusos de trabalho em algumas fábricas por quatro anos - e eles ainda estão acontecendo porque o sistema funciona para eles ".
Trabalhadores em uma fábrica da Apple entraram em greve depois de rumores de que os empregados foram expostos a toxinas, segundo eles tais gazes evaporaram três vezes mais rápido do que o álcool quando esfregando telas.
Steve Jobs, que morreu em outubro do ano passado, disse uma vez que a Apple é uma empresa líder mundial em "compreensão das condições de trabalho na nossa cadeia de abastecimento".
Ele disse que muitas das fábricas tem restaurantes, cinemas, hospitais e piscinas. Apesar disso as condições de trabalho ainda são vistas como insalubres.
A Foxconn disse que as condições de trabalho de seus empregados " não são duras", e a empresa tem um "histórico de segurança muito bom", relatou o New York Times.
Mas o Mail on Sunday visitou uma fábrica Foxconn fazendo iPods em Shenzhen, China, em 2006, e os  relatórios apontaram longas horas de trabalho, alojamento lotado e punições que chocaram os executivos da Apple.
"Nós tentando realmente, é difícil fazer as coisas melhor", disse um ex-executivo da Apple ao New York Times.
"Mas a maioria das pessoas ainda estariam realmente perturbadas se soubessem de onde seu iPhone vem.





Opinião

A matéria mostra como é o dia a dia de trabalhadores chineses nas fabricas da Apple, mas tais condições são realidade em outras áreas da industria Chinesa.
Muitos falam da China como a futura maior potencia econômica mundial, mas saibam que a maioria da imensa população deste Pais vive em condições difíceis, sem direitos trabalhistas. São verdadeiros robôs a serviço das multi- nacionais.
Uanderson



0 comentários:

Postar um comentário