Rio de Janeiro - Brasil

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Pai de menina morta em Caxias diz acreditar que mãe da menina sabia das agressões do padrasto a criança.




O camelô Diego dos Santos, de 24 anos, pai de Diane Vitória Silva dos Santos, de 5, que foi assassinada pelo padrasto em Saracuruna, Caxias, na Baixada Fluminense, no domingo, acredita que a mãe da menina sabia das agressões que ela sofria. O padrasto de Diane, Edvaldo Delmiro, de 26, que confessou o assassinato da menina está preso. Já a mãe, Alaine Silva, prestou depoimento na 60ª DP (Campos Elíseos) e foi liberada.

— Ela sabia que ele maltratava minha filha e não me contou. Há dois meses eles não me deixavam ver a Diane. Quando a menina sumiu, nem tiveram o trabalho de me avisar. Fui saber pelo Facebook. Ela estava na casa quando o crime aconteceu e, para mim, tinha que ser tratada como cúmplice — desabafa Diego.

O delegado Jefferson Ferreira do Nascimento explicou que não houve nenhum indício de que Alaine tenha participado do crime. Ele ainda aguarda os resultados da perícia.

Já o padrasto, segundo um policial da 60ª DP, contou em depoimento que a criança o incomodava porque a casa era pequena e ele não podia ficar à vontade com a mulher. E, ainda, que Diane o irritava porque acordava cedo e fazia com que ele despertasse também. No dia do crime, a menina levantou cedo e abriu a porta de casa. A luz do sol acabou acordando o suspeito que, zangado, esganou a enteada e jogou seu corpo na fossa.

O enterro de Diane será nesta quinta-feira, às 13h, no cemitério Tanque do Anil, em Caxias.

Fonte: EXTRA

0 comentários:

Postar um comentário