Rio de Janeiro - Brasil

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Londres poderá ser o plano B nos jogos olímpicos de 2016.


A Olimpíada de Londres-2012 foi considerada a melhor da história dos Jogos – e a capital britânica tem uma chance de repetir a dose em 2016. Tudo graças aos atrasos cada vez mais preocupantes nos preparativos do Rio de Janeiro, que têm deixado os integrantes do Comitê Olímpico Internacional (COI) em desespero.

De acordo com reportagem publicada nesta sexta-feira pelo jornal London Evening Standard, as autoridades britânicas foram consultadas por integrantes da cúpula do COI sobre a possibilidade de Londres receber o evento de forma emergencial caso os brasileiros fracassem em seu projeto olímpico. Uma porta-voz do COI desmentiu a informação, dizendo que seria impossível repetir os Jogos em Londres. 

O diário londrino insiste, porém, que houve uma consulta sigilosa para descobrir se as instalações olímpicas de 2012 poderiam ser reativadas (e quanto tempo isso levaria). Muitas delas já foram transformadas – o próprio Parque Olímpico foi fechado e passou por uma enorme transformação para servir à população.

Depois de ter seus preparativos classificados como "os piores da história olímpica" por John Coates, vice-presidente do COI, o Rio de Janeiro continua sendo alvo dos dirigentes, mesmo com o discurso mais diplomático do presidente do comitê, Thomas Bach, que garante que não há plano B e que o Brasil é capaz de compensar os atrasos.

A fonte ouvida pelo Standard afirmou que a situação do Rio é desesperadora na comparação com as sedes anteriores dos Jogos. "Num estágio similar, Atenas tinha concluído 40% dos trabalhos em infraestrutura e locais de competição. Londres tinha completado 60%. O Rio só fez 10%, e agora só faltam dois anos. Então o COI está pensando: 'Qual é o plano B?' Obviamente, a resposta seria voltar a Londres."

A fonte, que não foi identificada, disse que a repetição dos Jogos na Grã-Bretanha é "muito improvável" no momento, pois o COI insistirá em fazer o Rio funcionar, mas seria "a coisa mais lógica a se fazer" caso não fosse possível salvar a Olimpíada brasileira.

Não seria a primeira vez que Londres se mobilizaria para salvar, de última hora, uma edição dos Jogos Olímpicos. A edição de 1908 estava marcada para Roma, mas uma erupção do Vesúvio provocou danos e prejuízos graves, deixando os italianos em situação delicada.

Pouco mais de um século depois, os britânicos poderão ser acionados mais uma vez – mas sem tragédia provocada por um vulcão, só muita desorganização e muitos equívocos. A segunda edição dos Jogos em Londres também aconteceu sob circunstâncias muito inusitadas: a Olimpíada de 1948 foi realizada apenas três anos depois do fim da II Guerra Mundial, mas ainda assim foi um sucesso. 

Os britânicos, porém, não parecem muito animados com a possibilidade de repetir a experiência e encarar o desafio de "Londres-2016". Como as instalações olímpicas já estão adaptadas ao uso do público, revertê-las para o modo de competição seria uma empreitada caríssima. Para completar, a Vila dos Atletas hoje é ocupada por moradores da cidade – os apartamentos foram vendidos.

Fonte: Veja

OPINIÃO
A que ponto chegamos? Será que o Brasil passará por esse vexame internacional? Porque transferir em ultima hora o evento para outro País por questão de guerra ou uma tragédia natural tudo bem, mas por incompetência local em realizar tal evento?

Que merda!

UAN Noticias

0 comentários:

Postar um comentário