Rio de Janeiro - Brasil

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Manifestantes fazem cocô na câmara do Rio em protesto a possível pizza na CPI dos Ônibus.



A primeira sessão da CPI dos Ônibus deixou sinais de que a Comissão Parlamentar de Inquérito pode acabar em pizza na Câmara do Rio. A escolha de Chiquinho Brazão (PMDB) - que não assinou o pedido para a criação da comissão - para presidir os trabalhos foi o primeiro alerta de que havia algo estranho no ar. 

Revoltados, alguns manifestantes que foram à Casa acompanhar a sessão invadiram o gabinete de Brazão e picharam móveis e paredes. A audiência aconteceu no Salão Nobre porque, segundo o presidente da Câmara, Jorge Felippe (PMDB), manifestantes que ocuparam o plenário na madrugada de ontem fizeram cocô no local, inviabilizando a sua utilização.

Outros vereadores aliados da Prefeitura do Rio integram a CPI dos Ônibus, como o Prof. Uóston (PMDB) - relator -, Jorginho da SOS (PMDB) e Renato Moura (PTC). O oposicionista Eliomar Coelho (Psol), que propôs a CPI, candidatou-se à presidência da comissão, mas perdeu para Brazão. Eliomar ameaçou sair da CPI, mas desistiu

Ao saber do resultado, manifestantes ocuparam a Casa. Mas encontraram resistência. "A Casa é do povo, o povo quer entrar", gritava o grupo. Do lado de fora, havia mais de 200 pessoas barradas.

Depois de muito empurra-empurra, os manifestantes conseguiram entrar na Câmara. Os vereadores governistas que compõem a CPI chegaram a ficar sitiados na sala da presidência da Casa, enquanto o grupo protestava.

Fonte: Meia Hora


0 comentários:

Postar um comentário