Rio de Janeiro - Brasil

domingo, 18 de outubro de 2015

Os 16 Pratos mais indigestos do mundo


Os pratos que veremos abaixo é uma seleção de 16 pratos que em nossa cultura são vistos como repugnantes, mas em outras culturas são verdadeiras iguarias. Veja a lista e prepare o estomago:

1º Café Civet (feito de fezes)


Este Café é produzido com grãos de café que foram ingeridos e passaram intactos pelo sistema digestivo do civeta. Dando origem ao café “Kopi Luwak“, um café bastante caro e requintado


O Kopi Luwak, ou café de civeta, é feito a partir de grãos de café extraídos das fezes do civeta - um animal pequeno, de uma família de mamíferos carnívoros, com pelagem manchada e focinho pontiagudo, que vivem em palmeiras na Indonésia.

Em uma reportagem da BBC, Repórteres disfarçados encontraram civetas mantidos presos em gaiolas para produzir o café na Ilha de Sumatra. E especialistas afirmam que os grãos produzidos por esses animais são vendidos como iguarias em diversas partes do mundo.

A popularidade do Kopi Luwak explodiu após o café aparecer em um programa da apresentadora americana Oprah Winfrey e no filme Antes de Partir, estrelado por Morgan Freeman e Jack Nicholson, em 2007.

Muitos revendedores promovem o produto como um artigo silvestre, colhido nas florestas a partir de excrementos de animais livres na natureza.

Disfarçados como compradores, repórteres da BBC visitaram produtores que vendem os grãos em Sumatra. Nas fazendas, eles encontraram gaiolas mal cuidadas e apertadas e um civeta gravemente ferido - em cenas que contrariam a imagem vendida aos consumidores de "produto silvestre".

Depois de ver as imagens dos civetas engaiolados gravadas secretamente, o pesquisador Neil D'Cruze, da Sociedade Mundial para Proteção de Animais, disse que os bichos pareciam "totalmente deprimidos e infelizes"

Pesquisadores disfarçados como compradores também visitaram uma propriedade da empresa perto da cidade de Sidikalang, também em Sumatra. Alega-se que lá os grãos são colhidos de animais livres na natureza.

A propriedade, chamada Wahana, não tem relação com as fazendas de civetas ou com as cenas de crueldade observadas pela BBC em Sumatra.

"É silvestre, claro que é silvestre", diz Spranoto, sobre o Wahana Luwak. "Mas esse café vem com 100% de certeza de Wahana porque nós o monitoramos."

O vice-presidente da empresa garantiu aos repórteres disfarçados que não havia animais encarcerados em Wahana e que um programa de reprodução conduzido na propriedade foi concluído em 2007.

2º Feto de pato


O ovo é cozido com o embrião no seu interior, o objetivo é beber o caldo que contem o filhote de pato.

3º Pénis de Boi


Em algumas culturas, os homens acreditam que comendo pénis de alguns tipos de animais, tais como o boi, tigres ou cães podem melhorar a sua performance sexual.

4º Aranhas Grelhadas Gigantes


Duas mulheres tentam atrair clientes para comprar aranhas grelhadas gigantes, um prato muito popular na Cambodja, estas aranhas são comidas como lanche a qualquer hora do dia.

5º Larva Abelha


Um prato bastante nutritivo, que pode até fortalecer as funções corporais.

6º Ratos


Este prato é sem dúvida um dos mais famoso da repugnância, os caçadores de ratos como esse que vemos na imagem vendem a sua caçada a um dólar o quilograma.

7º Hasma –( Ovário de Sapo)



O que você diria se eu te oferecesse uma sopa chamada Hasma? Pois bem. Esta sopa deliciosa é feita com os ovários de sapo. Precisamente com as trompas de falópio. Quem prova diz que é muito bom. 

8º Lagartixas fritas:

                                                        


Este bichinho foi usado durante muito tempo na medicina tradicional tailandesa e recentemente foi incorporado a sua gastronomia graças a um chefe de cozinha meio louco que diz que a iguaria é deliciosa.

9º Sourtoe Cocktail – O drink com um dedo humano

                                                       


Criado em Dawson, Canadá por volta de 1973, o Sourtoe Cocktail originalmente era feito com um copo de cerveja cheio de champanhe com um dedo multilado, desidratado e conservado em sal. A tradição diz que a pessoa que bebe o drink deve toma-lo todo, para que o dedo toque os lábios de quem o bebeu.

Hoje em dia, o Sourtoe Cocktail é feito com qualquer bebida (até sem álcool), mas a tradição de que o dedo deve tocar a boca de quem bebe continua.
É claro que seria muito difícil manter um dedo durante 40 anos, por isso durante esse tempo já foram usados pelo menos 8 dedos para fazer esse drink típico do Surtoe Cocktail Club.


10º Cão


Este chefe Chinês esta a preparar-se para esculpir a carcaça deste cão. 

11º. Casu Marzu


Casu Marzu significa “queijo podre”. Esse alimento é feito a partir de leite de ovelha e é tradicional da Sardenha, na Itália. Seus fabricantes o colocam para fora de casa e permitem que moscas coloquem ovos dentro do queijo. Suas larvas quebram as gorduras e o fermentam.

Não é necessário limpar os vermes brancos do queijo antes de consumi-lo, mas algumas pessoas fazem isso. O Casu Marzu foi proibido durante anos e só era vendido no mercado negro (posso entender por quê), mas alguns anos atrás foi declarado um alimento tradicional e agora é legal produzi-lo e vendê-lo.

12 º Smalahove ( cabeça defumada)

Smalahove (também chamado de skjelte) é um prato tradicional norueguês feito a partir da cabeça defumada ou seca de uma ovelha. Pode ser servido com ou sem cérebro. Originalmente, era comido apenas pelos pobres. Hoje, adivinha? É considerada uma iguaria, principalmente no Mediterrâneo e algumas áreas do norte da Europa.

13 º-Três “squeeks”

O nome deste prato é praticamente uma piadinha. Basicamente trata-se de um prato bastante consumido nas províncias do interior na China. Sobretudo no Cantão.

O prato resume-se a filhote de rato vivo e cru. Tipo esses aí da foto. O nome de “três squeeks” se baseia no barulho que a comida faz. O primeiro “squeek” acontece quando você pega o ratinho recém nascido e ainda sem pelos e de olhos fechados com palitinhos.

Ele toma um susto e dá um guincho. Em seguida, você escuta o segundo squeek quando molha o bicho no molho shoyu. Ele leva um susto com a mudança de temperatura e guincha. 

E o último Squeek você escuta dentro da sua cabeça, quando morde ele e em seguida engole. Há quem prefira egolir inteiro, para sentir o “prazer” de perceber o bicho agonizando no suco gástrico do seu estômago. Mas lá de dentro, não dá pra ouvir nenhum squeek.

Os ratinhos são apreciados porque sua carne é macia e seus ossos ainda são moles o suficiente para serem comidos com facilidade.

14 º-Vitamina de sapo venenoso

Diretamente do Peru, na América do sul vem um alimento bastante rico em energia, que segundo a crença local funciona melhor que viagra. Sapo batido no liquidificador.

A receita é Pegar algumas rãs Telmatobius (com cuidado pois algumas são venenosas), tire a pele e corte-as, em seguida, jogue-as em um liquidificador com alguns outros ingredientes:

três conchas de caldo de feijão branco quente

duas colheres generosas de mel

Uma amostra de Aloe Vera

A mistura de tudo isso no liquidificador produz um caldo grosso, com cor de café com leite e sabor de sapo e raízes. Faz cerca de 200ml de vitamina.

15º -Cérebro de macaco

Existem milhares de comidas nojentas de todos os tipos e origens, mas certamente que o Cérebro de macaco é uma das mais horrendas formas de se alimentar. Primeiro porque não há como negar que macacos são muito parecidos com humanos, pertencendo a uma certa linhagem comum. Então há um certo quê de comer o semelhante, um tabu multicultural.

Há também o aspecto da maldade em si, pois o cérebro do macaco deve ser comido antes que o animal morra. O processo de produção desse “alimento” é tão grotesco quanto as torturas medievais:

A cabeça do macaco é apoiada pelo seu pescoço em um suporte, dois pedaços de madeira com uma abertura semicircular de cada lado travam a cabeça na posição, mantendo o corpo numa espécie de caixa, que o impede de se debater. De forma que quando você coloca as madeiras apenas a cabeça do macaco fica para fora. 

Os pêlos ao redor da cabeça são então raspados com uma lâmina de barbear. Um pequeno formão e um martelo são usados para cortar rapidamente um círculo ao redor da coroa, ea parte superior da caixa craniana é então removida. Isso é feito bem na sua frente, e em seguida te dão uma colher de chá com o qual você começa a cavucar o miolo do animal ainda vivo. Você corta os pedaços do miolo quente do macaco e come como se fosse um musse ou pudim.

Obviamente há riscos envolvidos no processo de comer um miolo de símio cru. Você pode pegar doenças como as encefalopatias espongiformes transmissíveis, do tipo Creutzfeldt-Jakob. O cérebro de macaco é comido no extremo oriente, sendo apreciado na China e em partes da Índia. Em alguns lugares o cérebro já vem separado do corpo do animal, servido em taças ou em pratos cobertos, para acentuar o aspecto dramático da iguaria. Quase sempre ele é comido cru, mas existem variações cozidas.

16º Sopa de morcego


Em um restaurante situado em Malaka, no Sudão, você pode experimentar um pouco da culinária local a preços bastante razoáveis. Tofu, legumes, peixe, fritas, sopa de peixe, carne integral e camarão fazem parte do cardápio, mas o que realmente chama atenção pode parecer bastante indigesto para a maioria de nós.

Na realidade, o que faz o lugar diferente é sua sopa de morcego. Isso mesmo, morcego! Tá certo que não é um daqueles místicos morcegos que atacam pessoas (estes se alimentam de frutas), mas não é um prato muito convidativo.

O morcego é cozido no leite de coco, gengibre e especiarias locais. Depois de fervido por algumas horas, já está pronto para ser degustado.

Fontes:


0 comentários:

Postar um comentário