Rio de Janeiro - Brasil

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Imprensa puxa saco força a barra para convencer o telespectador do sucesso da Record.

Com a ascensão da novela “Os Dez Mandamentos” da TV Record, entrou em ação um grupo da imprensa que tenta convencer seus leitores de que a novela da TV dos bispos consegue obter mais sucesso que na realidade vem obtendo.

Alias não somente em relação à novela Os Dez Mandamentos, como os resultados da própria programação da TV Record. Para isso tais sites e blogs ligados a noticias da televisão destacam somente os bons resultados da programação da Record, em contrapartida se fixam nos maus resultados de programas da TV Globo, se omitindo quando determinados programas alcançam melhores resultados.

Tal pratica não é novidade, na década passada a TV Record conseguiu feito parecido com algumas novelas, “Prova de Amor” que era exibida na faixa das 19 horas conseguia atingir excelentes índices de audiência e lógico essa mesma imprensa enaltecia tal resultado como se essa novela por si só tivesse tirado toda liderança da TV Globo. Um tempo depois a Record conseguiu outro feito dessa vez com a novela “Os Mutantes” que foi um grande sucesso principalmente entre os jovens.

Na época o sucesso foi tal grande que revistas de grande circulação que normalmente colocam nas capas manchetes com novelas da Globo, sobre tudo a das 21 horas, dessa vez colocou na capa a novela “Os Mutantes” enquanto a recém estreada “A Favorita” , das 21 horas da Globo tinha apenas uma notinha no canto superior esquerdo da capada da revista.

Hoje a Record comemora a grande audiência da novela “Os Dez Mandamentos”, porem sua audiência não é nenhum grande fenômeno, algo que nunca tenha ocorrido, de uma emissora emplacar vinte pontos em pleno horário nobre. Como já coloquei neste blog a TV Manchete conseguia ultrapassar a marca de trinta pontos com a novela “Pantanal” que começava as 21:30 e portanto batia de frente com a novela do horário nobre da Globo, que na época era “Rainha da Sucata”.

Pois bem, apesar de ser sucesso, “Os Dez Mandamentos” em termos de audiência só ganha de Malhação, ate mesmo a trama das 21 horas da Globo “ A Regra do Jogo” tem audiência media maior, tem conseguido ultrapassar 25 pontos de media na Grande São Paulo. Porem tais veículos de imprensa o qual citei no inicio deste texto tentam de toda forma convencer os leitores que o sucesso da trama da Record é maior do que realmente é.

Um site especializado em noticias da TV publicou uma matéria nesta semana onde diz que a trama bíblica da Record estaria “mudando a historia do canal”. Para isso, segundo o texto, o site diz que a novela ODM teria conseguido um feito “inédito” de conseguir ser capa de uma revista especializada em novela que normalmente estampa as novelas da Globo em suas capas.

Sendo que essa mesma revista que o site menciona foi a que anos atrás também deixou de colocar a novela da Globo “ A Favorita” em sua capa para por a trama da Record “ Os Mutantes”. Alem disso no mesmo texto falam que a ida de alguns grandes nomes para a próxima produção bíblica da Record, Cristiana Oliveira, Kadu Moliterno e Paloma Bernardi estaria ligado ao sucesso da novela “Os Dez Mandamentos”, uma vez que “Josué”, nova trama bíblica do canal poderá repetir o sucesso de ODM.


Mas não é a primeira vez que grandes nomes da Globo deixam o canal rumo a concorrentes do Plim Plim. Desde a época da extinta TV Manchete já ocorria esse troca troca, como por exemplo na novela “Kananga do Japão” que estreou em 1989 pela Manchete e no elenco tinha como protagonista Cristiane Torloni, e um elenco de primeira linha, tais como: Tônia Carrero, Claudio Marzo, Rosamaria Murtinho, Júlia Lemmertz e grande elenco, que preferiram se arriscar em ares fora da Globo, numa época que a Globo era literalmente hegemônica.



Anos depois, foi a vez do SBT fisgar vários artistas de peso da Globo. O ano foi em 1996, um ano após a Globo festejar seus 35 anos. O SBT para jogar areia nos festejos da líder, estreou três novelas simultaneamente, “Colégio Brasil”, que foi incumbida de concorrer com, “Malhação”, “Antonio Alves, Taxista”, era exibida às 20 horas e tinha como protagonista Fabio Junior que tinha status de galã na Globo e sua saída da TV dos marinhos na época foi dada com todo estardalhaço pela imprensa e recebido no SBT com pompa de estrela.

E para completar o trio de novelas, às 21 horas o Sbt exibia a novela “Razão de Viver” e tinha um elenco global, Irene Ravache, Adriana Esteves, Marco Ricca, Gabriel Braga Nunes, Lolita Rodrigues, Raul Gazolla, Vera Zimmermann, Ana Paula Arósio, entre outros grande nomes. O resultado e que as novelas não tiraram a liderança da Globo, e o homem do Baú simplesmente desativou o núcleo de dramaturgia da emissora demitindo dezenas de profissionais.

Naquela época Silvio Santos fez parceria com uma emissora de TV argentina, a Telefe, para coproduzir essas novelas com o objetivo de baratear os custos e com exceção da novela “Razão de Viver” as demais foram um fiasco não somente em audiência mas em qualidade. A novela que trazia Fabio Junior no papel principal de taxista, “Antonio Alvez, Taxista” foi a pior das três. Ela teria a participação de Sonia Braga que desistiu de participar da trama justamente pelas péssimas condições, seja estrutural, como o texto.

Agora a nova vice líder em audiência, a Record repete o feito de Silvio Santos dezenove anos depois, já que segundo noticias veiculadas na imprensa, com o objetivo de baratear os custos a Record pretende terceirizar sua produção de novelas, inclusive arrendando o Recnove para a produtora Casablanca. A diferença e que pelo menos desta vez a produção ficara a cargo de uma empresa brasileira e não argentina como foi no Sbt. Porem assim como ocorreu na emissora do homem do Baú, a TV do Bispo Macedo deve demitir os profissionais do Recnov que serão recontratados pela Casablanca, com salário menor, é claro.

O momento atual vemos a Globo com uma audiência instável porem diferentemente daquela época em que tinha somente as emissoras de TV aberta como concorrentes, hoje o leque de concorrentes da Globo são diversificados, TV por assinatura que obteve grande expansão principalmente nas classes C e D, internet, etc..

Segurar um publico diante da TV virou tarefa árdua, e a TV Record esta engatinhando ainda para um dia se deslumbrar com a liderança, alias a tendência e que um dia não haja mais uma emissora líder, e sim a pulverização da audiência, para ser líder terá que fazer melhor.

Portanto, tudo que estamos vendo no momento na guerra de audiência na TV e mero flash back do que já vimos em outras épocas e quem trabalha em jornalismo pautado em notícias da TV deveria ser menos histriônico e pesquisar um pouco mais antes de publicar matérias tendenciosas tentando inflar o sucesso pontual de uma novela concorrente da Globo. “Os Dez Mandamentos” é um bom começo, mas a Record precisa ir alem de novelas bíblicas para provar que é um canal capaz de oferecer entretenimento diversificado e de qualidade.

Por Uanderson de Aquino.


0 comentários:

Postar um comentário