Rio de Janeiro - Brasil

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Água escura e fedida assusta os moradores de Mesquita – RJ


O abastecimento com água escura e cheiro ruim há uma semana, associado a problemas de saúde que podem ser causados por ingestão de produtos contaminados, está preocupando moradores da Rua Marte, em Mesquita, na Baixada Fluminense. "É um absurdo. Geralmente não temos água. E quando chega está poluída", critica Roberta Vasconcelos.

Segundo ela, há uma semana toda a sua família teve vômito e diarreia. Seu filho Benedito, de 2 anos, teve gastroenterite. A Cedae garante que a água não representa risco à saúde. Sogra de Roberta, Maria das Graças conta que uma equipe da Cedae esteve na residência na segunda-feira para verificar o problema com a água. 

A aposentada disse que ofereceu um copo de água, e eles recusaram. "Tive que explicar que não estava oferecendo água da Cedae, mas sim a mineral, que precisamos comprar", contou Maria das Graças.

Outros moradores reclamam da água da Cedae e tiveram os mesmo sintomas. Vizinho de Roberta, Enio Teixeira Xavier conta que seu neto chegou a ser internado. "Ele ficou quatro dias no hospital. É provável que tenha sido por causa da água, porque nós não compramos água mineral e bebemos a da Cedae", explicou.

Normalmente, para ter água, moradores da rua recorrem ao uso de bomba de sucção. "No verão, pago até R$ 400 de energia. Metade disso vem do uso da bomba, que fica ligada até seis horas por dia", afirmou Roberta.

Fonte: Meia Hora

0 comentários:

Postar um comentário