Rio de Janeiro - Brasil

sábado, 27 de outubro de 2012

Estudante é torturada e violentada por casal de amigos, diz polícia





Uma estudante de 19 anos foi vítima de tortura e violência sexual entre a noite de quinta-feira (25) e manhã desta sexta-feira (26), em Porto Velho. A mulher foi amarrada, espancada, teve as costas perfuradas por faca e tesoura; e foi violentada "seguidas vezes". Segundo a polícia, os agressores são amigos da vítima.

Claudineia Alves de Souza, de 34 anos, convidou a estudante para ir à casa dela, na tarde de quinta-feira, onde conversaram amenidades, segundo a vítima. Às 19h, Pedro Felipe Alves de Souza, de 30 anos, companheiro de Claudineia, chegou e passou a consumir crack, conforme o depoimento da vítima à polícia.
Por volta das 21h30, Claudineia e Pedro amarraram a estudante com um lençol e passaram a espancá-la. "Ela me batia e me furava", conta a vítima. Depois, Pedro estuprou a estudante e Claudineia continuava espancando.

"Depois ela ficou em um canto apenas observando eu ser estuprada", narra a vítima ao G1. A estudante também teve os cabelos cortados pelos agressores.
Às 6h30 o casal agressor dormiu e a estudante conseguiu se desamarrar e fugir. Na rua pediu socorro e foi levada à casa da mãe, onde a polícia foi acionada. "Estou muito triste, não esperava isso da minha amiga. Estou com muito medo", desabafa a vítima.

O casal foi preso e levado à Central de Polícia, onde foi reconhecido pela estudante. Segundo a polícia, há um mandado de prisão contra Pedro Felipe, que está preso no 'Pandinha'. Claudineia está no Presídio Feminino de Porto Velho.

Segundo o delegado, o casal será indiciado por cárcere privado, tortura e estupro. De acordo com o depoimento do casal à polícia, a mulher confessou ter participado "do ocorrido". O homem afirmou ao delegado que não cometeu estupro e que a relação sexual "foi consentida" pela estudante. A vítima nega que tenha consentido. (G1)
Fonte:
http://jornalagazeta-ap.com/portal/?p=2&i=7746&t=Estudante é torturada e violentada por casal de amigos, diz polícia

0 comentários:

Postar um comentário