Rio de Janeiro - Brasil

sábado, 26 de setembro de 2015

Asteroide vai passar próximo da Terra, mas Nasa nega risco de colisão



As teorias do fim do mundo existem aos montes por aí, como esquecer de 2012, em que o nosso fim seria em 21/12, segundo o calendário Maia? A mais recente profecia, relata que nosso fim seria entre os dias 22 e 28 de setembro, causada pela colisão de um meteoro com a Terra. O dito cujo cairia próximo a Porto Rico, e sua devastação se estenderia ao Atlântico, Golfo do México, EUA, América do Sul e Central.

A NASA, a agência espacial americana negou, em comunicado de agosto, o risco de asteroides ou qualquer outro corpo celeste impactar o planeta. O mesmo comunicado dizia que há 0,01% de um asteroide perigoso atingir o mundo nos próximos 100 anos, uma possibilidade praticamente remota. "Se um objeto desse tamanho e com esse potencial de destruição estivesse chegando em setembro, nós já o teríamos visto", alegou Paul Chodas, que trabalha no escritório da Nasa, que monitora "corpos" próximos da Terra e avalia sua periculosidade.

A segurança da Nasa vem de uma cooperação internacional, entre cientistas e astrônomos, que observam o céu com telescópios em busca de algo que pudesse causar destruição ao nosso planeta.

O asteroide 2012 TT5 tem o tamanho de três campos de futebol e deve passar à 8 milhões de quilômetros, uma margem segura segundo os cientistas. Asteroides tem tamanhos variados, de rochas enormes à pedregulhos, esses objetos orbitam o Sol, são uma espécie de planetas secundários, por serem considerados pequenos, se comparados aos mesmos. Fragmentos de cometas e de asteroides estão sempre caindo não só na Terra, como na Lua e em outros planetas.

Esses "pedaços" dão origem à um meteoro (fenômeno luminoso também conhecido como estrela cadente) quando ultrapassam a atmosfera. "A maior parte desses corpos se desintegra e os que são encontrados são chamados de meteoritos", relata o professor e pesquisador da UNESP, Othon Winter. A maioria desses fragmentos caem no mar ou em zonas desabitadas.

Só o tempo dirá quem tem razão, se as teorias de conspiração ou a NASA. O passado não ajuda muito os conspiradores. Da última vez, em 2012, o que acabou mesmo foi só o calendário Maia, porque a Terra, apesar de seus percalços, segue girando

Fonte:

0 comentários:

Postar um comentário