Rio de Janeiro - Brasil

sábado, 19 de abril de 2014

O brasileiro é um povo “marcha lenta”? como diz a revista The Economist?


Como publiquei no blog, a revista britânica The Economist classificou o brasileiro como um povo "gloriosamente improdutivo". A matéria mexe com a emoção do brasileiro que a lê, afinal como pode “os caras” lá de fora sugerirem que somos vagabundos?

Porem ao acalmar os ânimos e refletindo, acho que eles não estão falando besteiras. Observando a juventude de hoje acabo dando a mão à palmatória aos ingleses.

Os jovens de hoje de maneira geral não querem nada com nada, e um bando de barbados velhos cheios de pentelhos no saco soltando pipa na rua ao invés de caçar um emprego. E o pior e que vejo muitos desses “playboys da periferia” de moto e ate de carro!. Como conseguem se não trabalham?

E dado pelo papai e a mamãe que contribuem para a formação do que um dia o finado Enéas Carneiros disse sobre o futuro do Brasil, “ formado por uma legião de mentecaptos”.....

O cara amanhece na segunda já pensando ser sexta feira, trabalho que é bom nada. Para piorar isso ainda temos uns duzentos feriados, aqui se comemora de tudo, dia do santo fulano, do santo ciclano, e olhe que o Brasil não é mais nem tão católico assim, mas hoje tem muito crente comendo bacalhau!, ainda temos o  dia do corno, tudo é motivo de parar as maquinas.
 
Sem contar as mil bolsas que o governo paga que de certa forma incentiva o povo a não trabalhar. O Brasil é uma das maiores economias do mundo, porem grande parte deste PIB não vem de produção e sim de impostos que pagamos.

Aqui se paga ate para peidar, e não adianta “trancar o cú”, porque o Leão vai lhe pegar de qualquer forma!!! Se fôssemos uma nação mais produtiva, acredito que estaríamos no mesmo patamar que os chineses em desenvolvimento econômico.

Isso é uma questão de cultura, o brasileiro não se valoriza, aqui e como se fosse um esconderijo, o brasileiro acha que para ter sucesso financeiro precisa sair do País.

Tudo bem que há grandes entraves como os próprios impostos que atrapalham o desenvolvimento econômico, mas se aqui fosse cultura de que para ter sucesso na vida basta estudar ao invés de correr atrás de uma bola ou balançar a bunda, o Brasil viveria outra realidade, porque quem faz o Brasil somos nos cidadãos, uma nação não se faz sozinha, seu futuro depende exclusivamente de quem vive nela!

Uanderson
UAN Noticias.


0 comentários:

Postar um comentário