Rio de Janeiro - Brasil

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Jogos olímpicos de 2016 no Rio ameaçados: Preconceito com o Brasil e falta de vergonha na cara de nossos políticos.....




Hoje o jornal O Dia publicou a reportagem em que informa que o COI ainda matem o Rio de Janeiro como sede das olimpíadas de 2016. A possibilidade dessa mudança drástica, ou plano B do COI, seria pelo atraso no na andamento de varias obras para as olimpíadas.

Que de fato há muitas obras com o andamento lento ou ate mesmo parado, é  fato, mas será que isso justifica a possibilidade da retirada das olimpíadas do Rio? Na minha opinião NÃO! O que há e muito preconceito com o Brasil, e o Rio de Janeiro por tabela.

Desde que a cidade maravilhosa foi eleita sede dos jogos de 2016, o Rio vem sendo  duramente criticado por jornais internacionais. Em 2011 a ESPN dos Estados Unidos chamou os jogos tanto da Copa quando das Olimpíadas do Rio de “jogos mortais”.

Em 2009 durante um programa de TV o ator americano Robin Williams fez uma piada sobre a escolha do Rio como sede dos jogos olímpicos de 2016, com a seguinte gracinha:

“Espero que ela (Oprah) não esteja chateada com as Olimpíadas. Chicago enviou a Oprah e a Michelle. O Brasil mandou 50 strippers e meio quilo de pó. Não foi uma competição justa”

Além dessas outras manifestações em veículos de comunicação, principalmente dos EUA e Europa já fizeram algum tipo de chacota com os jogos tantos da Copa, quanto das Olimpíadas no Brasil.

A questão é, realmente o Brasil possui muitas mazelas, e muitos problemas, como a violência urbana, a precarização do transporte publico, etc... não foram e dificilmente serão solucionados, além disso os gastos para os jogos tem sido estratosféricos.

Porem falando especificamente das Olimpíadas do Rio, acho que essa ameaça de tirar os jogos daqui e muito para a questão do preconceito mesmo, pois já vimos outras cidades terem dificuldades de finalizar os preparativos dos jogos e mesmo assim a cidade escolhida se manteve sem que tivesse possibilidade real de transferência desses jogos.

Um exemplo foi os jogos olímpicos de 2004 em Atenas na Grécia cujas obras foram terminar quase no inicio dos jogos daquele ano. Leiam um trecho da matéria da Folha daquele ano que fala sobre esses atrasos:

Atrasada, Atenas-2004 veste armadura”

Desde 1998, a advogada grega Gianna Angelopoulos-Daskalaki, 47, tem uma prioridade: driblar disputas partidárias, críticas internas e calendários atrasados para conseguir que, em 13 de agosto de 2004, Atenas esteja pronta para sediar os Jogos Olímpicos.

Angelopoulos-Daskalaki é presidente do comitê organizador de Atenas-2004. Em sua mesa de trabalho, os problemas aparecem de todos os lados. A principal preocupação neste momento, segundo relata em entrevista à Folha, é em deixar pronto um esquema de segurança que seja impecável, deixando de lado temores de um atentado terrorista durante a competição esportiva mais importante e mais vista no mundo.

Cerca de 45 mil agentes treinados irão participar do esquema. A preparação envolve reuniões com outros países, como EUA e Israel, e está sendo chefiada pela Scotland Yard, a polícia britânica.

O orçamento para a pasta é de US$ 600 milhões -o maior da história já despendido em segurança em uma organização olímpica. Apesar de crucial, nem todos os contratos de equipes de segurança foram fechados.
"Ainda estamos procurando as melhores ofertas", disse o porta-voz do governo grego Christos Protopapas, responsável pela conta, na última quarta-feira.

A relação entre o comitê organizador e o governo grego não é das melhores. Segundo a imprensa local, Angelopoulos-Daskalaki está preocupada só em cumprir os prazos. Reformas de estádios e ginásios, construções de novas sedes esportivas e da própria Vila Olímpica estão bastante atrasadas. Muitas obras tiveram que ser interrompidas porque se depararam com sítios arqueológicos inexplorados, que possuem um valor histórico inestimável.

Muitas das concorrências públicas para fornecimento de veículos de transportes e alimentos nem sequer foram feitas. "Atenas fez um progresso significativo nos últimos meses, quando deixou de planejar e passou a implementar. Estaremos prontos em tempo."

A necessidade é premente. Dois anos atrás, o Comitê Olímpico Internacional disse aos organizadores que eles poderiam perder a sede dos Jogos se não apressassem as obras.”

A ultima copa do mundo, que foi realizada na África do Sul também teve muitas dificuldades de finalização das obras dos estádios:

“Com atraso, Soccer City é inaugurado na África do Sul”

Principal estádio da Copa do Mundo de 2010, o Soccer City foi inaugurado com atraso neste sábado, em Johanesburgo. A cerimônia contou com presença do presidente sul-africano, Jacob Zuma, bem como o chefe-executivo do Comitê Organizador da Copa 2010, Danny Jordaan, e o secretário-geral da Fifa, Jérome Valcke.

A primeira partida oficial na arena - antes, operários que participaram das obras de construção disputaram amistoso - foi a final da Copa Nerdbank, entre Wits, de Johanesburgo, e Amazulu, de Durban. O duelo começou com 30 minutos de atraso por conta do trânsito e do elevado número de pessoas que tentava chegar ao local.

A situação ficou ainda mais complicada na região por conta da decisão do Super 14 de rugby, que será realizada em Soweto, em horário próximo ao da partida no Soccercity. Com capacidade para 94 mil pessoas, o estádio que será palco do jogo de abertura e da final da Copa do Mundo recebeu 76 mil pagantes, por escolha da organização.”

O Objetivo desse artigo não foi defender os governos que realmente estão mais perdidos que cego em tiroteio, e sim reconhecer o erro do Brasil em se comprometer em realizar dois mega eventos esportivos em curto espaço de tempo que vem torrando milhões, melhor dizendo, bilhões que poderiam serem gastos em necessidades emergenciais do nosso Pais, como saúde educação, infraestrutura como a energética, e tantas outras de um País ainda carente, com milhões pessoas morando em favelas sem saneamento básico.


O objetivo também foi em mostrar que, já que entramos no barco, agora e bola para frente e assumir o que já começou sem baixar a cabeça para ninguém, temos potencial. O Brasil merece respeito, e no caso particular do Rio em relação aos jogos de 2016, o Brasil precisa dar esse aporte à cidade, já que foi o governo federal que nos meteu nessa e não aceitar em hipótese alguma qualquer possibilidade de transferência de nenhuma modalidade esportiva, isso seria sim uma forma de boicote ao Rio que já foi e muito sacaneado neste País desde que deixou de ser capital federal.

Por Uanderson

Fonte de consulta:



0 comentários:

Postar um comentário