Rio de Janeiro - Brasil

sábado, 28 de julho de 2012

Menina morre por bala perdida, ate quando viveremos nessa guerra civil?


Hoje, 27/07, mais uma mãe volta para casa com uma sensação de vazio, tristeza, perda, uma “pancada” que será duro um dia digerir. Dona Anailza Rodrigues Ribeiro, perde sua filha de apenas 10 anos, vitima de bala perdida, durante um confronto entre policiais do Bope e traficantes na comunidade de Quitanda Costa Barros, na Zona norte do Rio.
Um tiro de fuzil que atingiu o abdômen da criança que ainda foi levada com vida ao hospital Carlos Chagas. Foi operada, porem às vinte horas, ouvia-se os choros de uma mãe nos corredores do hospital. Os Choros de dona Anailza ao saber que não viria novamente o sorriso de sua pequena Bruna que agora dorme com os anjos e com certeza será uma estrela a brilhar no céu.
Já “cá” embaixo ainda teremos que ver muitas mães, pais, chorando por brutalidades como essa que somente e similar de países em guerra. O que falta para nosso país se tornar uma nação onde nos cidadãos possamos viver com dignidade e segurança?
Acredito, que uma reforma em nossas leis, ajudariam um pouco para diminuição da criminalidade, uma vez que a certeza da impunidade ajuda na ação de criminosos que entra por uma porta da cadeia e sai em outra.
Acho também que a forma da nossa policia em fazer abordagens precisa mudar. Como pode a policia entrar numa comunidade em um horário com tantas pessoas na rua disparando contra bandidos que eles mesmos não sabem onde estão.
Sem contar na crueldade dos marginais que atiram aleatoriamente e muitas vezes propositalmente contra moradores, já que quando atingem inocentes, alem da operação da policia parar, dando tempo para eles fugirem, muitas vezes colocam a população contra a policia.
Eu ainda confio em nossa policia, esses homens e mulheres colocam seus peitos todos os dias na mira, ao fazerem suas incursões, em prol a segurança da população, mas acho que confrontos como esse que tirou a vida dessa menina devem ser repensados, calculados, estudados, para que vidas inocentes não sejam ceifadas como a que ocorreu.
Nessas horas surge em nossas mentes uma sensação de frustração, ao vermos que pessoas inocentes se vão, enquanto vemos muitas vezes bandidos que são alvejados em trocas de tiro, que entram nas emergências dos hospitais parecendo uma peneira de tanto furo, mas sai vivinho da silva. Vai entender o destino.
Por Uanderson

0 comentários:

Postar um comentário