Rio de Janeiro - Brasil

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Retrato de uma tragédia: a vigília da mãe que assiste a agonia de seu bebê vítima da fome no oeste Africano que está ameaçando 23 milhões de fome


Chindo Khady embala o seu filho morrendo em seus braços.
Dois de seus filhos já morreram de desnutrição e ela sabe que não vai demorar muito até pequeno, indefeso kinda se junta a eles.
Um gotejamento oscila de seu braço frágil em um hospital, imundo superlotado, mas para o bebê de sete meses de idade, que pesa quase metade do que deveria, talvez a ajuda veio tarde demais
Ele é uma vítima da crise alimentar que ameaça 23 milhões de pessoas - quase um terço da população da Grã-Bretanha - na região do Sahel da África Ocidental.
Seca severa, o conflito e a destruição de plantações por insetos se combinaram para tornar a situação crítica.
Simplesmente, não há comida suficiente e as chuvas não são esperadas até junho, ou seja, não haverá colheita até outubro.
Agências de ajuda internacionais, incluindo a Cruz Vermelha e das Nações Unidas, pediram medidas urgentes para evitar uma repetição da grande fome que assolou o leste da África no ano passado e deixou centenas de milhares de mortos.
Chindo, 29, mora em Burkina Faso - o país mais pobre do mundo e um dos mais afetados das 11 nações que compõem a região do Sahel.
Ao lado de seu filho no calor insuportável em um centro médico criado em resposta ao aumento drástico nos casos de bebês desnutridos, ela luta uma batalha perdida com as moscas constantemente descendo sobre kinda o rosto molhado de lágrimas.
Ela disse ao Correio: ".Eu não estava produzindo leite suficiente para alimentar o meu filho e depois ele ficou doente. Estou muito preocupada com ele. Meus outros dois filhos já morreram.”
"Não há comida suficiente. Eu não sei o que vou fazer.' Rezo pelas chuvas que virão em breve. "
Outra que assisti a agonia de seu filho é a jovem Salamata Tambora de 20 anos. Sentada ao lado de seu único filho que embora tenha dois anos e meio, pesa o mesmo que um bebê de quatro meses de idade, ela sabe que sua vida está por um fio pois esta extremamente desnutrido.
Missionários cristãos criaram um centro sobre o fluxo para as crianças doentes ao lado do hospital na remota aldeia de Djibo.
Aqui é a mesma história - mães desesperadas cujos bebês estão lentamente morrendo de fome porque são mal nutridas para produzir leite para alimentá-los.

O Sahel, uma longa extensão de terra árida, incluindo países como Mali, Níger, Chade, Mauritânia e Senegal. Quase um terço de seus habitantes, 23 milhões, estão em risco de fome e 60%
​​já estão sem quantidade suficiente de alimentos

Leiam mais em:
http://www.dailymail.co.uk/news/article-2133992/West-Africa-famine-threatening-kill-23million-starvation.html#ixzz1stSueHX5

0 comentários:

Postar um comentário