Rio de Janeiro - Brasil

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Privatização dos hospitais, solução para saúde?


Nesses dias tem se discutido a implementação das Organizações Sociais na administração dos hospitais públicos. Segundo seus defensores, um dos maiores problemas para um melhor serviço prestado a população seria uma gestão eficiente, e nesta ótica entregando-a a uma empresa que seria por sua vez, cobrada a elevar para melhor a prestação de cuidados médicos a população.
Por outro lado, a os que se opõe, que dizem que esta estratégia estaria na verdade privatizando os hospitais, e com isso desrespeitando a constituição que define a saúde direto de todos e dever do Estado.
Na minha visão, realmente um grande problema que ajuda na má prestação dos serviços nos hospitais a população e a péssima gestão. Com todo respeito ao funcionário publico, mas muitos se prevalecem pela estabilidade que o regime de estatutário os conferem, e prestam um serviço a quem do que deveriam.
Alem dos profissionais que atuam diretamente a população, médicos e demais profissionais de saúde, também temos os servidores administrativos nos hospitais, que faltam seus plantões aparecendo somente no final do mês para fechar o ponto. Logicamente há exceções, conheço muitos servidores que estão La, todo plantão.
Mas a realidade e que muitos servidores por possuírem a estabilidade, não se preocupam em se reciclar, estudar , para melhor aperfeiçoar seu trabalho. Tanto que quando o governo do Estado implementa algum curso de capacitação aos servidores, vemos uma enorme dificuldade de adesão, no ultimo que o governo fez, por exemplo teve de ser estendido novamente o prazo para o servidor realizar a prova, só faltou o governo ter de levar a prova na casa de cada um.
Por isso acredito que as “Oss” podem ser uma boa alternativa na busca por uma gestão mais dinâmica, visto que seus funcionários, com CLT, deverão prestar seus serviços de maneira mas eficaz, tanto dos seus administrativos, quando médicos e demais profissionais.
O médicos por exemplo, dizem que não adianta terceirizar a saúde, que melhores salários para categoria seria a solução. Eu acho que não e bem assim, pois mesmo que o Estado aumentasse os salários de seus médicos para Dez mil reais, ainda assim veríamos médicos terceirizando suas matriculas, e faltando plantões, pois um dos “ defeitos “do ser humano e quanto mais ganha, mais quer.
A enfermagem e um exemplo que posso citar, estamos na briga pela redução de carga horária semanal para 30 horas. A principal justificativa para esse movimento e que trabalhando menos hora por semana, o profissional estaria melhor psicologicamente e fisicamente para prestação de seus serviços a população. Porem sabemos que mesmo que haja redução da carga horária continuara havendo tripla, quádrupla, quíntupla jornada, pois o “ olho grande”, fala mais alto.
O camarada pode estar “ morrendo”, cansado, depois de 48h de trabalho, de um hospital a outro, se alguém oferecer uma boa proposta, ele vai. Desta forma bom salário apenas nunca será um atributo fidedigno para uma melhor assistência profissional.
Se as organizações sociais forem apenas para administrar, tudo bem, mas minha preocupação e na possibilidade da terceirização da saúde para o cidadão, em São Paulo, onde as “OSS” já atuam, o governador Geraldo Alckmin autorizou a reserva de 25% das vagas dos leitos dos hospitais públicos, administrados pelas “OSS”, para os planos de saúde.
Logicamente e sabidamente a justiça de São Paulo suspendeu tal decreto, pois isso desrespeita a legislação, onde o serviço publico e direito de todos, o Estado tem a obrigação de oferecê-lo a população gratuitamente, reservar 25% dos leitos aos planos de saúde e ter menos 25% de leitos para o cidadão comum que já sofre com a falta de vagas nos hospitais públicos quando precisam de internação.
Desta forma e bom que toda a sociedade fique com os olhos bem abertos para que não sejamos pegos de surpresas na “ calada da noite”. Uma administração mais ágil, e melhor prestação de serviço de saúde a população e necessário, mas esses serviços precisam continuar sendo gratuitos, e ampliados, pois já pagamos muitos impostos e não e admissível que um dia esse serviço tenha que ser pago pelo cidadão que faz um milagre todos os dias para viver com um salário mínimo.
Por  Uanderson

0 comentários:

Postar um comentário