Rio de Janeiro - Brasil

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Quem quer ficar chapado? Centenas de usuários de maconha fazem fila em lojas do Colorado( EUA) após estado americano permitir vendas de drogas para uso recreativo.


Centenas de usuários de maconha ficaram na fila de um estabelecimento que tem autorização de comercializar drogas. Antes do amanhecer no Colorado, que entrou para a história como o primeiro estado nos Estados Unidos a licenciar a venda da droga para uso recreativo.
Mais de 200 clientes estavam na neve antes das portas do 3D Cannabis Centre, Denver abrir às 8h.

Para alguns, era a continuação da festa que começou à meia-noite, onde via-se uma nuvem de fumaça de maconha, onde festeiros celebraram o fim da proibição do uso  da maconha.

O Colorado tornou-se nesta quarta-feira, 1º, o primeiro Estado americano a comercializar legalmente a maconha para uso recreativo. A medida, inédita no país e aprovada em referendo em 2012, entrou em vigor em 160 farmácias em 25 cidades e condados.

Qualquer cidadão maior de 21 anos pode comprar até 28 gramas da droga para consumo recreativo. O governo local estima que a nova regulamentação criará um mercado de US$ 578 milhões por ano, que reverterá US$ 67 milhões em tributos para os cofres públicos.

O Estado de Washington deve adotar um modelo parecido em seis meses. A maconha continua ilegal pela lei federal, mas o governo de Barack Obama tem dito que vai dar aos Estados a liberdade para ter os seus próprios estatutos para uso recreativo.

Ativistas favoráveis à legalização da droga esperam que esses novos modelos ofereçam uma alternativa à guerra às drogas patrocinada pelo governo americano desde os anos 80. Outro benefício apontado pelos defensores da lei é a renda gerada pelo recolhimento de impostos e os gastos poupados com as prisões por posse e uso de maconha.

Críticos da medida temem que a indústria fará com que a maconha fique mais acessível a jovens e adolescentes, apesar da fiscalização. Outro ponto que preocupa é o efeito do consumo excessivo da droga no organismo dos consumidores.

"Entendemos que o Colorado está sob escrutínio", disse o advogado Jack Finlaw, encarregado pelo governador John Hickenlooper de supervisionar a força-tarefa de implementar oito recomendações do Departamento de Justiça para a regulamentação da venda de maconha no Estado, que inclui impedir a chegada da droga ao mercado negro, testes, embalagens e grau de pureza, entre outros fatores.

Para o diretor do Centro de Dependência Química e reabilitação da Universidade do Colorado, Ben Cort, a medida equivale a "colocar gasolina no fogo".


Fonte: DailYmail/Estadão


0 comentários:

Postar um comentário