Rio de Janeiro - Brasil

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Mais uma Vitima da Dengue e da Negligência Medica.



Sábado, a universitária de pedagogia da Uerj, Fernanda Cristina Carvalho de Souza Freitas, 19 anos, morreu no Barra D'Or de dengue hemorrágica, conforme a nossa coluna do jornal publicou hoje.
O pai da moça, Hernani de Freitas contou, em desespero, que havia levado a filha horas antes no Hospital da Barra, na antiga Clínica São Bernardo, na Barra. Mas que uma médica, "omissa", liberou Fernanda para ir embora para casa.  Hernani conta que insistiu para que a menina ficasse internada no Hospital da Barra por causa de seus estado, muito frágil e com pressão baixa. O óbito de Fernanda , segundo Hernani, diz que ela morreu vítima de complicações de dengue tipo 4. O pai dela acha que foi muito mais do que isso:
- Minha filha,uma ótima garota, foi atendida por uma profissional negligente na antiga Clínica São Bernardo, que hoje é Hospital da Barra. Eu quero justiça. Essa médica não pode continuar trabalhando e matando a filha dos outros. Ao chegar no Barra D'Or, a tarde, Fernanda teve duas paradas cardíacas e não aguentou.  Tentaram ressucitá-la, mas ela faleceu, bruscamente. A médica que atendeu Fernanda no Hospital da Barra acabou com a mãe, com os irmãos da Fernanda e comigo. Acabou com uma família - desabafa Hernani.
Fonte: O Globo
Pessoal, dias atrás eu já havia postado um texto sobre a Dengue no Rio, como leram acima, agora vemos mais uma tragédia causada pela Dengue. A morte desta representa mais uma vez a incapacidade do poder publico em se mobilizar contra o avanço desta doença que cada dia mais da traços de epidemia.
Vemos também a estupidez de médicos, logicamente não todos, mas que infelizmente hoje se alastra pelos hospitais. Como pode uma medica liberar a estudante para casa vendo o estado que a menina se encontrava? As vezes me pergunto: Que medicina e essa que e ensinada nas faculdades? Será que o lema é : Forme-se  e ganhe muito dinheiro? Não seria Forme-se e salve muitas vidas?
Não sou estudante de medicina, curso Enfermagem, porém como acadêmico de enfermagem, sei que a Dengue pode ser tipo 1, 2 ,3 4, Numero 70 blábláblá.., a Sepa por si somente não diz muita coisa, o individuo pode desenvolver a forma hemorrágica em qualquer tipo. A questão da gravidade depende de muitos fatores, o que importa e o tratamento a ser conduzido.

Se a medica tivesse feito contagem de plaquetas( hemograma comum), hidrata-se e se o caso fosse necessário fizesse transfusão(Em alguns casos), ela estaria viva. A dengue, apesar de ser uma doença grave, não e uma ebola, se o medico atender seu paciente de forma correta, administrar o tratamento correto e rápido, o paciente dificilmente vai a óbito, a não ser se este sofre de alguma doença limitante, ai sim, neste caso por já ser uma pessoa debilitada, qualquer “ assopro” derruba.

0 comentários:

Postar um comentário