Rio de Janeiro - Brasil

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Parentes e amigos se despedem de menino morto em tiroteio em Bangu



Em clima de forte emoção e sob gritos que pediam justiça, parentes e amigos se despediram do menino Kayo da Silva Costa, de 8 anos, na capela Moça Bonita, em Padre Miguel, na Zona Oeste do Rio.

Muitas compareceram ao velório com camisas do Bangu Atlético Clube, onde o menino treinava futsal. Sobre o caixão da criança, havia uma bandeira do Vasco, time do coração do garoto, a camisa da escolinha de futsal do Bangu e o boné favorito. O enterro foi realizado no Cemitério do Murundu, em Realengo.

Em seguida, parentes e amigos seguiram até o Fórum de Bangu em um protesto, que teve o apoio de mototaxistas. O menino morreu em um tiroteio durante uma tentativa de invasão do Fórum nesta quinta-feira. Um policial militar também foi morto na ação.

O sonho dele era ser jogador profissional do Vasco. E aí acontece esse absurdo. Eu não sei como trazem bandidos para prestar depoimento sem fechar ruas ou reforçar a segurança. Uma imprudência sem fim o que fizeram — disse Edvan Gomes da Silva, de 47 anos, avô de Kayo.
Edvan se emocionou ao lembrar da última vez em que esteve com o neto, que era filho único, no sábado:

— Era uma criança muito amada e esperta, meu melhor amigo. Ele me chamava de “meu avô cabeça”. Eu o levaria para a escola hoje (sexta), mas ao invés disso estou enterrando o Kayo. 

Queria muito que fosse eu nesse caixão, e não ele. Ninguém consegue entender esse absurdo.

A esquina das ruas Silva Cardoso e Francisco Real chegou a ser fechada por um grupo de mototaxistas durante a manifestação realizada após o enterro. Eles fizeram um buzinaço e nenhum carro passava pelo local. Crianças com o uniforme do Bangu gritavam o nome da vítima e pediam Justiça.

A família está em estado de choque e não quis falar com jornalistas. O delegado Rivaldo Barbosa, da Divisão de Homicídios (DH), esteve no velório, mas também não deu declarações. Segundo Cristiane Viana, amiga da família, ele era um menino bom e muito bonito, que brincava com todos. Ela questionou a segurança do Fórum:

— Ele era muito conhecido em Bangu, era um jogador de futebol muito bom. Como o Fórum não pediu escolta para 23 bandidos? Aquele lugar tem pouca segurança, eles deveriam ter pedido reforço. Tenho amigos que trabalham lá e estão desesperados com a insegurança.

Fonte: O Globo

 OPINIÃO

Faço a mesma pergunta que a amiga da família fez ao jornal: Como o fórum não pediu reforço na segurança ao julgar um criminoso de alta periculosidade em um bairro populoso?

Ontem passei pelo local poucas horas antes dessa tragédia, e como de costume as ruas estavam cheias, afinal o bairro de Bangu possui um comercio ativo, a um shopping Center no centro, do bairro, foi uma total irresponsabilidade das autoridades em não estudar um plano de segurança para tais ocasiões.

Agora vai pedir desculpas? Já era a criança foi morta, e o bandido? Há essa vai continuar protegido pelas nossas leis pré-históricas e pela turma dos “direitos humanos”

blog UAN Noticias

0 comentários:

Postar um comentário