Rio de Janeiro - Brasil

sábado, 30 de junho de 2012

Padrasto teria torturado e estuprado meninas com aval da mãe



Agentes da Delegacia de Polícia da Mulher de Lajeado, no Vale do Taquari, Rio Grande do Sul, prenderam na sexta-feira um homem de 32 anos por ter torturado, escravizado e estuprado duas enteadas, entre 2005 e 2011. De acordo com a delegada Márcia Scherer, o padrasto agia com crueldade e tinha apoio da mãe das crianças. "Ele mantinha relação sexual com ambas, em dias alternados, com o consentimento da mãe. Além disso, ele obrigava a mais velha a vender CDs e DVDs piratas como forma de sustento da família. Não fosse suficiente, dava choques elétricos nas duas."
Ele também havia gravado com ferro quente a inicial do nome dele na perna da enteada mais velha e faria o mesmo na mais nova, segunda a delegada, ao detalhar os motivos da prisão preventiva. O suspeito já havia sido investigado e indiciado, em 2003, por suspeita de estupro contra as crianças, quando a família vivia em outra região do Estado, mas acabou sendo absolvido no processo. As vítimas ficaram dois anos longe do convívio familiar, mas quando a mãe as levou para Lajeado os crimes voltaram a ocorrer com mais intensidade.
A mãe, que é considerada co-autora do crime, por ser conivente com os abusos sexuais e maus-tratos, e por buscar anticoncepcionais em um posto de saúde para as filhas, ainda não teve o pedido de prisão acatado. O caso é investigado desde 2011, quando os crimes foram descobertos, após uma delas relatar os casos a uma professora. Hoje com 14 e 15 anos, as jovens vivem sob os cuidados da avó materna.
Fonte:


Opinião

“A mãe, que é considerada co-autora do crime, por ser conivente com os abusos sexuais e maus-tratos, e por buscar anticoncepcionais em um posto de saúde para as filhas, ainda não teve o pedido de prisão acatado” .

O que a justiça esta esperando para colocar essa víbora atrás das grades? Que fuja para outro estado e passe a viver tranquilamente como se nada tivesse feito? Como já disse, infelizmente grande parte desses crimes contra crianças são praticados dentro de casa e as mães muitas vezes fingem que não vê e outras as vezes ainda participam, como e o caso em questão.

Não me esqueço daquele caso de dois irmãos que foram mortos e esquartejados pelo pai e a madrasta em São Paulo. Os meninos pediram ajuda, o conselho tutelar local disse que eles eram fantasiosos. E os familiares, tios, tias, avos, os ajudaram? Coisa nenhuma.

Fugiram, mas foram levados de volta para casa e na mesma noite foram assassinados covardemente pelo pai e a madrasta, onde o mais novo foi morto asfixiado pelo pai, o mais velho correu para o quarto e a madrasta o matou a facadas, como se tivesse talvez abatendo um frango para o jantar. Depois o casal de monstros esquartejou os corpos dos meninos.

E a mãe dos garotos? Há essa apareceu após a reportagem mostrar o que havia ocorrido, na época disse as emissoras de TV que não sabia dos maus tratos. Hora as crianças viveram um ano em um abrigo justamente devido aos maus tratos sofridos, como então ela não sabia? Ficou então um ano sem ver os filhos? 

Parir qualquer bicho pare, agora ser mãe, pai e muito mais que por alguém no mundo. Os envolvidos nesse caso passarão a vida inteira com o remorso, os familiares, por não ter estendido a mão aos garotos, o conselho tutelar por não ter dado a devida importância ao relato dos garotos, e essa mãe que não os levou quando se separou do pai dos meninos. Na época ela justificou que não tinha condição de ficar com eles, levou apenas uma filha. Onde come um, come dois, três, essa e minha opinião.

O pai e a madrasta( assassinos) esses não tem remorsos, são monstros, e sentimento e algo que não conhecem.

uanderson

2 comentários:

  1. Um absurdo, como pode uma mãe se submeter assim a vontade de um homem?

    ResponderExcluir
  2. POis é, mas infelizmente casos como esse não são poucos pelo Brasil a fora.

    ResponderExcluir