Rio de Janeiro - Brasil

sexta-feira, 22 de julho de 2011

HYUNDAI INVESTE US$ 150 MILHÕES EM FÁBRICA NO RIO DE JANEIRO



VALOR ECONÔMICO

A Hyundai vai investir US$ 150 milhões na construção de uma fábrica de máquinas pesadas no sul do Rio de Janeiro, segundo informou ontem o governo fluminense. A unidade será erguida no município de Itatiaia, com a conclusão das obras prevista para o fim do ano que vem. O projeto será tocado pelo braço de indústria pesada do grupo sul-coreano, a Hyundai Heavy Industries.
A produção anual será de cinco mil máquinas para construção pesada, entre escavadeiras, retroescavadeiras e carregadeiras, informa Felipe Cavalieri, presidente da Brasil Máquinas (BMC), distribuidora de bens de capital que será sócia minoritária da Hyundai no projeto.
A ideia, diz Cavalieri, é destinar 60% da produção ao mercado doméstico e exportar 40% a clientes na América Latina. Conforme o executivo, a BMC terá entre 20% e 25% de participação na fábrica. Em troca, os sul-coreanos assumirão fatia do capital da brasileira, dentro de uma operação de troca de ações que ainda será estruturada.
“É uma parceira onde as competências se complementam”, diz Cavalieri, referindo-se à combinação da expertise da Hyundai na atividade industrial com o conhecimento da BMC na comercialização de máquinas.
Se tudo acontecer dentro do cronograma preparado pela Hyundai, os trabalhos de terraplenagem começam em agosto. Além disso, Cavalieri conta que seis empresas já estão pré-qualificadas para as obras de construção civil.
De acordo com o executivo, o Brasil era apenas a terceira opção nos planos de expansão da Hyundai Heavy Industries para fora da Ásia. “Era para ser primeiro nos Estados Unidos e depois na Rússia (a abertura de fábricas)”, diz. As prioridades, no entanto, mudaram a partir da crise financeira internacional de 2008.
No Brasil, a Hyundai Heavy já é sócia de Eike Batista, com uma participação de 10% na divisão de construção naval da OSX, responsável pela construção de um megaestaleiro no porto do Açu, no norte do Rio de Janeiro.
Para suprir a nova fábrica de máquinas pesadas, a empresa asiática negocia a instalação de fornecedores sul-coreanos na região da unidade fabril. Contudo, Cavalieri diz que o grupo já tem fornecedores locais para garantir o índice de conteúdo nacional mínimo de 60% nas máquinas produzidas – uma das condições para se ter acesso às linhas de crédito com taxas de juros mais vantajosas do BNDES.
“Temos vários fornecedores brasileiros qualificados. Os coreanos ficaram surpresos com a qualidade dos fornecedores daqui”.
A Hyundai também poderá buscar o BNDES para custear parte dos investimentos no empreendimento, diz o presidente da BMC. Segundo ele, representantes da empresa sul-coreana devem chegar a São Paulo nos próximos dias para discutir o projeto.
Fonte: Valor Econômico/Eduardo Laguna | De São Paulo


0 comentários:

Postar um comentário