Rio de Janeiro - Brasil

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Greve dos Professores continuam no Rio


Rio - A greve dos funcionários da Educação do Estado vai continuar. Isso foi o que se decidiu após a reunião dos líderes do movimento, com o secretário de Educação, Wilson Risolia, o secretário de Planejamento, Sérgio Ruy, o secretário de Governo, Wilson Barros, o presidente da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Paulo Ramos (PMDB) e mais 10 deputados.

Foi definido que o governo vai enviar a proposta em que antecipa para os professores parcela do programa Nova Escola, de 2011 e 2012, além do descongelamento do salário dos funcionários técnicos-administrativos, proposta essa já apresentada a categoria por Risolia, em reunião na quarta-feira. Entretanto, a proposta só será enviada em 1º de agosto, quando acaba o recesso da Alerj.
O Sindicato Estadual dos Profissionais do Estado (Sepe) vai se reunir nesta sexta-feira, em assembleia geral, para debater o que foi combinado na reunião e a proposta do governo. Até lá, a paralisação continua. A categoria exige reajuste de 26%; incorporação imediata da gratificação do Nova Escola; e descongelamento do Plano de Carreira dos Funcionários Administrativos. A paralisação dos servidores começou no dia 7 de junho.
Fonte : O DIA

Todas as categorias profissionais tem o direto de pleitear melhores condições salarias, mas na minha opinião esta greve já esta abusiva, pois já faz um mês de paralisação. Nessa brincadeira quem perde e o aluno, pois os professores quando voltam dizem que irão repor as aulas, mas essas aulas não são repostas da forma como deviriam.

A forma que nossos mestres encontram para repor essas aulas e passam uma matéria em cima da outra, como o aluno não e computador, eles “ metem” trabalhos, apresentação de seminários, pesquisas, etc.., uma forma de tapar o buraco, ai da a nota para o aluno, este passa de serie e tudo fica numa boa. Porem numa boa só para os professores pois as matérias que não foram ensinada de forma correta farão falta mais tarde quando o aluno tentar entrar em um concurso público, vestibular só se for por meio de cotas e olhe lá.

Eu posso falar isso com convicção por que sempre estudei em escola publica, e sei como e. A regra e a seguinte: Os professores fingem, que ensinam, e os alunos, coitados, fingem que aprendem. Seremos daqui a poucos anos a 6ª economia do mundo, formada por uma população de analfabetos funcionais.

Uanderson

0 comentários:

Postar um comentário