Rio de Janeiro - Brasil

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

A guerra do petróleo, O Rio mais um vez é injustiçado.

                                              
                                           Fonte da Imagem: http://portalmaritimo.com

Já virou novela a disputa pelos royalties do petróleo, da ultima vez o então presidente Lula vetou. Nesta terça feira mais uma vez as bancadas dos estados não produtores conseguiram derrubar o projeto do senado, e conseguiram aprovar o texto em que quebra os contratos dos poços já licitados.
Lendo os jornais do Brasil a fora, percebi certa ignorância de determinadas pessoas de outros estados sobre esses recursos, ao dizerem que o Rio não tem direito a nada. Sem contar os achincalhamentos que fazem do povo carioca e fluminense.
A questão e a seguinte, o porque da raiva com o povo do Rio eu não sei, mais que de fato nisso tudo a um ranço em relação a esse povo isso é certo. Falar que o carioca não trabalha, como já li em alguns comentários de certos jornais por ai e idiotice, já foi feito varias pesquisas, uma delas inclusive mostrado no Fantástico um tempo atrás em que provava que em termos de carga horária, o carioca trabalha mais ate que o paulistano, que para todo mundo e o povo que mais trabalha neste Pais( ou talvez o único, na visão de certos anencéfalos)
Talvez as pessoas de fora tenha essa visão deturpada do carioca devido as novelas da Globo que sempre mostram o carioca na praia jogando fut-volei, no baile funk, porem a realidade do povo carioca e levantar de madrugada, sofrer em ônibus,trem, metro lotados, sendo sarrados ate o trabalho, aturar chefe ate o final do dia e encarar tudo isso de novo na volta para casa.
A questão desses recursos do petróleo, muitos de fora dizem que o Rio não tem direito a nada porque o petróleo e extraído do mar. Sim o petróleo vem do mar, mas ele não vem boiando, para que haja essa extração e necessário uma logística que tem sua base no continente e não no oceano. Alem das questões ambientais, como a poluição, desgastes nas estradas locais com o intenso transito de caminhões, há também a questão demográfica.
Nas ultimas décadas a população de cidades como Campos e Macaé aumentou a olhos vistos, pessoas vindo de varias partes deste País, na busca por emprego buscaram residir nessas localidades. A extração petrolífera movimenta uma imensa cadeia produtiva, exigindo mão de obra especializada do setor, como também demais atividades, como eletricitas, pedreiros, marceneiros, soldadores, etc..
Esse aumento populacional gera uma problema a ser enfrentado pelos governos locais, que passa a ter que disponibilizar mais leitos em hospitais, mais vagas em escolas, alem da questão do saneamento básico, principalmente em relação a favelização recente  dessas localidades.
Tudo isso cai na conta do Rio e não dos não produtores, que querem o dinheiro, mas os problemas relacionados acima, o Rio que se vire! Querem mexer com os recursos da extração do petróleo, que foi garantido ao Rio pela constituição, porem os royalties da extração de minério em Minas por exemplo, ninguém discute.
E o ICMS que beneficia o estado de São Paulo? Há esse então ninguém toca, não há HOMEM lá em Brasília que tenha tamanha petulância! O bacana e sacanear o “malandro carioca” não é mesmo? O malandro que apesar de odiado, é copiado tudo que este cria.
Mas talvez essa “marra” com o Rio seja culpa também de políticos meia bocas que representam o Rio lá em Brasília que e capaz de ajudar em votação de coisas que beneficiam outros lugares, mas quando se trata do estado de onde os elegeram, se acovardam!
Como também certas instituições que apesar de dizerem que tem sede no Rio, passava mais tempo nos malhando. A TV Globo era uma, hoje parece que “maneirou” um pouco, mas há um tempo atrás parecia que tinha ate prazer em mostrar somente o que tinha de ruim do Rio para o Pais e o “caralhaquatro”!
Uma vez a finada jornalista Maria Helena Dutra, que trabalhou em revistas como a Veja e jornais como o JB, e que desde 87 era critica de TV do jornal O Dia, em uma de suas colunas, disse que a Globo só não se mudava de vez para São Paulo, porque não tinha como "arrancar" o Projac de lugar.
Talvez essa palhaçada toda dos royalties tenha um lado bom, que é fazer o carioca passar a ser mais ativo na política, escolhendo melhor as pessoas que irão nos representar, basta de bananas! Como também passar a amar quem nos ama, e  ser recíprocos na “gentileza” que recebemos do restante do Brasil.
Por Uanderson

0 comentários:

Postar um comentário